Justiça de Maringá condena três pelo latrocínio do farmacêutico Carlos Henrique Hortencio no dia 10 de maio de 2018

29 de julho de 2019
Farmacêutico havia convidado os autores do crime para assistir um show na Expoingá 2018 / Arquivo Pessoal

A juíza da 3ª Vara Criminal de Maringá, Mônica Fleith, condenou a mais de 20 anos de prisão três homens pelo latrocínio do farmacêutico Carlos Henrique Falcin Hortencio, 55 anos. O crime foi cometido no dia 10 de maio de 2018.

A vítima, que conhecia um dos envolvidos, tinha convidado os três algozes para assistir ao show da dupla Jorge e Matheus, na Expoingá de 2018. Quando estavam a caminho do evento, Carlos Henrique recebeu voz de assalto, acabou assassinado e teve o corpo enterrado no quintal da casa onde morava.

O caso só veio a ser elucidado no dia 19 de maio de 2018. Inicialmente, a família tratava a situação como desaparecimento, mas mensagens com erros de português enviadas do aparelho da vítima fizeram os familiares desconfiarem de que poderia ter ocorrido um crime. A Polícia Civil passou a investigar o caso e chegou aos envolvidos.

Após descobrir a localização do telefone e dos pertences da vítima com um dos suspeitos, o corpo do farmacêutico Carlos Henrique Falcin Hortencio acabou localizado enterrado no quintal da casa onde morava sozinho na Rua Cariovaldo Ferreira, na zona 8.

Sandro Marcelo Lehn Junior, que conhecia a vítima, foi condenado a 25 anos e dez meses de reclusão, em regime inicial fechado, e a 246 dias-multa pelos crimes de latrocínio e ocultação de cadáver.

Luiz Fernando Prestes da Silva, pelos mesmos crimes, foi condenado a 22 anos e três meses de reclusão, em regime inicial fechado, e ao pagamento de 220 dias-multa.

E Hugo Diogo da Silva Felício foi condenado a 23 anos e nove meses de precisão em regime inicial fechado e a 231 dias-multa, também por latrocínio e ocultação de cadáver.

Na sentença, a juíza da 3ª Vara Criminal decidiu manter a prisão preventiva dos réus. Eles, que confessaram parcialmente o crime, podem recorrer da sentença junto ao Tribunal de Justiça do Estado do Paraná.

Em 2015, um irmão do farmacêutico Carlos Henrique Hortencio também foi morto vítima de latrocínio. O comerciante José Hamilton Hotencio teve a casa invadida por dois bandidos no Jardim São Silvestre.

Ele jantava com a esposa e o filho quando os assaltantes entraram. José Hamilton reagiu e foi morto. Os dois envolvidos no latrocínio foram presos e condenados a mais de 20 anos pelo crime.