Servidores da Prefeitura de Maringá recuam e decidem fazer nova proposta de reajuste. Pedido caiu de 10% para 5%

Por: - 8 de março de 2019
Votação dos servidores na 3ª assembleia da categoria sobre o reajuste salarial de 2019 / Valter Baptistoni

Em assembleia realizada na noite desta quinta-feira (7/3), na Câmara de Maringá, os servidores municipais recuaram e decidiram rever a proposta de reajuste salarial apresentada pela categoria. Dos 10% iniciais, o pedido agora é de 5%.

A decisão foi tomada após os servidores recusarem, pela segunda vez, a proposta de reajuste salarial oferecida por Ulisses Maia, de reposição nos salários com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que vai fechar perto de 3,5%.

Segundo o Sindicato dos Servidores Municipais de Maringá (Sismmar), a redução do percentual é uma estratégia para impulsionar as negociações. “A proposta está amparada em estudo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), que apontou esse percentual como viável para a administração municipal”, informou o Sismmar em nota à imprensa.

Em relação ao vale-alimentação, os servidores desistiram de pedir um reajuste de 60% no valor atual, de R$ 312,50. O pedido, agora, é para que a administração municipal aumente o percentual oferecido, de 10%, ou reduza o valor da contrapartida descontada no salário dos servidores, atualmente de 20%.

Durante a assembleia desta quinta, houve votos favoráveis à administração, porém, a maioria dos presentes votou pelo prosseguimento das negociações, sem abrir mão do  ganho real no salário.

Esta semana, a Prefeitura de Maringá divulgou que estima em R$ 23,1 milhões o gasto adicional anual com a folha de pagamento, com a concessão do reajuste aos servidores com base no INPC.

Também informou que no orçamento de 2019, a previsão de gasto com a folha de pagamento é de R$ 717 milhões, já considerando o aumento projetado do INPC e o crescimento vegetativo da folha, de 6%. Em 2018, a folha de pagamento dos servidores fechou o ano em R$ 648 milhões.

Acompanharam a assembleia os vereadores Jean Marques (PV), que é servidor de carreira e líder do prefeito na Câmara Municipal, Belino Bravin (PP), Sidnei Telles (PSD) e Mário Verri (PT). A data da próxima assembleia da Campanha Salarial ainda não foi definida pelo Sismmar, que aguarda uma resposta da Prefeitura de Maringá.