Cinco empresas disputam elaboração de projetos para a construção dos viadutos do Contorno Norte. São seis duplicações e um novo

Depois do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) recusar os projetos técnicos de construção de um novo e a segunda parte de seis viadutos do Contorno Norte de Maringá, foi aberta nesta terça-feira (27/11) licitação para contratar projetos básico, executivo e orçamentário para as obras.

Cinco empresas participaram, no entanto a Atlântico Sul Consultoria e Projetos apresentou apontamentos de supostos descumprimentos do edital  das quatro concorrentes: Zocco Projetos, Parallela Engenharia e Consultoria, Geovias Engenharia e ProjPontes Consultoria em Engenharia de Estruturas.

O processo licitatório, com preço máximo de R$ 282 mil, para elaboração de serviços preliminares, projetos básico, executivo, orçamento e respectivas notas técnicas foi suspenso por tempo indeterminado para a Comissão de Licitação analisar os apontamentos da Atlântico Sul.

As segundas pernas dos viadutos chamados “sacis” serão nas transposições das avenidas Mandacaru, São Judas Tadeu, Kakogawa, Tuiuti, Guaiapó e Franklin Rooselvet. O viaduto na Avenida Américo Belay será totalmente novo. As obras de arte deverão ser semelhantes às já existentes.

Convidado pela Câmara de Maringá para prestar esclarecimentos sobre a recusa do Dnit aos anteprojetos, o secretário de Obras de Maringá Marcos Zucoloto disse que a duplicação e o novo viaduto deverão ser concluídos em dezembro de 2019. Ele esteve na Câmara no dia 8 de novembro.

Zucoloto atribuiu o atraso nos viadutos do Contorno Norte à falta de projetos complementares e erros na licitação realizada em 2016 e assegurou que os recursos obtidos junto à União pela bancada federal paranaense naquele ano estão disponíveis. São R$ 12 milhões, metade do valor estimado das obras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *