Municípios da Regional de Saúde de Maringá perdem 23 médicos. Maior problema é em Paiçandu: dos 9 profissionais do Mais Médicos, 7 cubanos deixaram de atender

Por: - 21 de novembro de 2018
Médicos cubanos já começam a deixar Brasil esta semana.

Treze cidades da 15ª Regional de Saúde de Maringá perderam 23 médicos cubanos depois que o governo da ilha caribenha rompeu o contrato de prestação de serviços com o Brasil. As inscrições dos profissionais interessados nas vagas foram abertas às 8 horas desta quarta-feira (21/11).

Na terça-feira (20/11) o Ministério da Saúde publicou no Diário Oficial da União a abertura de 8.517 vagas para a contratação de médicos brasileiros e estrangeiros com registro nos Conselhos Regionais de Medicina para 2.824 municípios e 34 distritos indígenas. Na regional de saúde local são 23 vagas.

Maringá perdeu dois médicos que atendiam nas Unidades Básicas de Saúde do Portal das Torres e do Tuiuti. A secretaria municipal de Saúde, na terça-feira, não soube informar se os profissionais já haviam parado o atendimento. Cuba quer todos os médicos que atuam no Brasil de volta ao país em dezembro.

Maringá tem atualmente 21 vagas ocupadas por profissionais do programa Mais Médicos. Além dos dois cubanos, atendem na cidade dois venezuelanos. Os demais são brasileiros formados em universidades do exterior que fizeram o Revalida (exame para graduados em outros países) e têm registro no CRM.

Na região, o maior problema está em Paiçandu. Dos nove médicos contratados para atender nas UBSs, sete são cubanos. De acordo com a secretaria municipal de Saúde, eles respondiam por cerca de 85% dos atendimentos. Ao meio dia de terça-feira eles deixaram de trabalhar e alguns marcaram voo para esta semana.

O secretário de Saúde de Paiçandu, Ailton Joaquim de Oliveira, afirma que a prefeitura ainda não sabe como o problema será resolvido, por se tratar de uma contratação via Governo Federal: “Espero ter um solução em poucos dias, para que ao menos um atendimento parcial seja retomado. A população não pode ficar desassistida”.

A maioria dos outros municípios da 15ª Regional perde apenas um médico e não deve ter grandes transtornos. É o caso de Sarandi, onde trabalha uma cubana. A secretaria de Saúde local informou que ela ainda está trabalhando e que é responsável por cerca de 30 consultas diárias. A expectativa é resolver o problema com o edital publicado na terça-feira.

ntenda o edital

Nesse primeiro edital, as vagas são oferecidas a médicos brasileiros e estrangeiros que tenham registro no CRM. As inscrições ficam abertas até o próximo dia 25 e devem ser feitas pelo site maismedicos.com.br. No momento da inscrição, o profissional escolhe o município onde deseja atuar.

As vagas serão distribuídas por ordem de inscrição e os salários são de R$ 11,8 mil. Caso as vagas não sejam totalmente preenchidas, o Ministério da Saúde pretende ainda lançar um segundo edital no dia 27/11, voltado para profissionais, brasileiros ou estrangeiros, que estudaram no exterior e não têm registro no CRM.

Nesse segundo edital, os médicos poderão ser selecionados antes mesmo de fazer o Revalida. Os selecionados devem assumir as vagas deixadas pelos cubanos já no início de dezembro, entre os dias 3 e 7, segundo previsão do Ministério da Saúde.

Vagas ofertadas nos municípios da 15ª Regional

  • Astorga (1)
  • Atalaia (1)
  • Colorado (1)
  • Iguaraçu (1)
  • Itambé (1),
  • Mandaguari (2)
  • Maringá (2)
  • Nova Esperança (3)
  • Paiçandu (7)
  • Paranacity (1)
  • Santo Inácio (1)
  • São Jorge do Ivaí (1)
  • Sarandi (1)

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.