Assembleia Legislativa do Paraná terá quatro delegados, dois soldados, um subtenente e um coronel, que surfaram na onda do capitão

Por: - 8 de outubro de 2018
Delegado Francischini (PSL), vai deixar a Câmara Federal para ocupar cadeira na Assembleia Legislativa: foi o estadual mais votado do Paraná. Fez 427.724 votos

A Assembleia Legislativa do Paraná, em 2019, terá quatro delegados, dois soldados, um subtenente e um coronel. Isso contanto apenas os candidatos eleitos que carregam os cargos policiais e militares no nome de urna. O vereador de Maringá Do Carmo (PSL), também eleito, é um ex-militar, mas não usa tal condição no nome eleitoral.

À exceção do Delegado Recalcatti (PSD), que já é deputado estadual, todos os demais não eram deputados estaduais. O Delegado Francischini (PSL), era federal e retornou para a Alep para puxar outros candidatos. A estratégia deu certo. De quebra, o filho dele, Felipe Francischini (PSL) foi para a Câmara dos Deputados.

Alguns dos policiais civis e militares já se candidatam há algum tempo, como o Delegado Jacovós, que trabalhou em Maringá e Sarandi. Também foi eleito o Delegado Fernando (PSL). Os dois Soldados eleitos foram Fruet (Pros) e Adriano José (PV), esse de Maringá. Com patentes mais altas, foram eleitos o Subtenente Everton (PSL) e o Coronel Lee (PSL).

O Subtenente Everton foi o deputado estadual eleito com o menor número de votos. Fez 12.998 votos, 0,23% dos válidos. Já o deputado com o maior estofo eleitoral na Alep é o Delegado Francischini, que teve 427.724 votos, ou 7,51% dos válidos. Nas duas pontas, estão policiais do partido do Capitão Bolsonaro, o candidato a presidente que gerou a onda.

Se por um lado, o PSL elegeu deputado que não chegou a 13 mil votos, a Cantora Mara Lima, do PSC de Maringá, por exemplo, conseguiu 33.866 votos e não foi eleita. O deputado Evandro Júnior, do PSDB, que obteve 31.200 votos também não se reelegeu. Isso ocorre devido ao tal coeficiente eleitoral, que vai mudar. Será diferente na próxima.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.