Assembleia Legislativa do Paraná terá quatro delegados, dois soldados, um subtenente e um coronel, que surfaram na onda do capitão

Por: - 8 de outubro de 2018
Delegado Francischini (PSL), vai deixar a Câmara Federal para ocupar cadeira na Assembleia Legislativa: foi o estadual mais votado do Paraná. Fez 427.724 votos

A Assembleia Legislativa do Paraná, em 2019, terá quatro delegados, dois soldados, um subtenente e um coronel. Isso contanto apenas os candidatos eleitos que carregam os cargos policiais e militares no nome de urna. O vereador de Maringá Do Carmo (PSL), também eleito, é um ex-militar, mas não usa tal condição no nome eleitoral.

À exceção do Delegado Recalcatti (PSD), que já é deputado estadual, todos os demais não eram deputados estaduais. O Delegado Francischini (PSL), era federal e retornou para a Alep para puxar outros candidatos. A estratégia deu certo. De quebra, o filho dele, Felipe Francischini (PSL) foi para a Câmara dos Deputados.

Alguns dos policiais civis e militares já se candidatam há algum tempo, como o Delegado Jacovós, que trabalhou em Maringá e Sarandi. Também foi eleito o Delegado Fernando (PSL). Os dois Soldados eleitos foram Fruet (Pros) e Adriano José (PV), esse de Maringá. Com patentes mais altas, foram eleitos o Subtenente Everton (PSL) e o Coronel Lee (PSL).

O Subtenente Everton foi o deputado estadual eleito com o menor número de votos. Fez 12.998 votos, 0,23% dos válidos. Já o deputado com o maior estofo eleitoral na Alep é o Delegado Francischini, que teve 427.724 votos, ou 7,51% dos válidos. Nas duas pontas, estão policiais do partido do Capitão Bolsonaro, o candidato a presidente que gerou a onda.

Se por um lado, o PSL elegeu deputado que não chegou a 13 mil votos, a Cantora Mara Lima, do PSC de Maringá, por exemplo, conseguiu 33.866 votos e não foi eleita. O deputado Evandro Júnior, do PSDB, que obteve 31.200 votos também não se reelegeu. Isso ocorre devido ao tal coeficiente eleitoral, que vai mudar. Será diferente na próxima.

- Quer receber as notícias no seu WhatsApp? Clique aqui.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.