Recuperação do pavimento do Contorno Sul é prorrogada. Concorrência de R$ 13,4 milhões exigia que fornecedor de asfalto ficasse num raio de 50 km da prefeitura

Por: - 20 de setembro de 2018

A recuperação emergencial do pavimento da Avenida Sincler Sambatti, o popular Contorno Sul, vai demorar mais do que inicialmente previsto. Os envelopes da concorrência 25/2018, na modalidade menor preço, seriam abertos nesta quinta-feira (20/9), no entanto, por problemas no edital de licitação, na segunda-feira (17) o processo foi prorrogado.

Os problemas no edital foram apontados pela Compasa do Brasil Distribuidora de Derivados de Petróleo Ltda, que contestou uma condição limitante imposta na concorrência com preço máximo de R$ 13,456 milhões. O apontamento foi acatado, o edital foi corrigido e a abertura dos envelopes agora só ocorrerá no dia 22 de outubro.

No item 3.1.3, quanto à qualificação técnica, o edital dizia que “a usina de asfalto a ser utilizada para execução de concreto betuminoso/asfalto a quente (C.B.U.Q) deverá estar instalada num raio de distância igual ou inferior a 50 quilômetros, tendo como referência o Paço Municipal de Maringá”. Este trecho do texto foi suprimido.

Ao acatar o apontamento da Compasa do Brasil, empresa com sede em Curitiba, a 426 km de Maringá, a diretora de Licitações da prefeitura, Kelly Henrique dos Santos, justificou a alteração e prorrogação do edital afirmando que o objetivo foi “não prejudicar os fornecedores interessados em participar da presente licitação”.

O prazo de execução da recuperação da pavimentação do Contorno Sul, via de intenso tráfego de carros e caminhões que está visivelmente danificada, é de 270 dias a partir da assinatura do contrato e a ordem de serviço. A licitação é divida em dois lotes e tem o objetivo de contratar empresa especializada na área de engenharia.

A recuperação do pavimento asfáltico será por meio de recomposição e remendos profundos em 31,559 mil m², fresagem em 27,468 mil m² e recapeamento de pavimento existente com aplicação de  Concreto Betuminoso Usinado à Quente (CBUQ) em área de 164,72 mil m². A capa asfáltica deverá ter no mínimo 5 cm de espessura.

A empresa que vencer a concorrência terá que fornecer os materiais, equipamentos e mão de obra para os serviços de limpeza do pavimento, demolição, fresagem, desobstrução de sarjeta, recomposição de base com material agregado, pintura de ligação e imprimação com emulsão asfáltica usinada a quente.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.