Declarações de bens dos candidatos a senador do Paraná vão de R$ 239 milhões a R$ 30 mil. Veja o que os 14 postulantes informaram ao Tribunal Superior Eleitoral

Por: - 17 de agosto de 2018
Senado Federal: 14 candidatos do Paraná buscam duas vagas

O Paraná tem 14 candidatos a senador disputando duas vagas, atualmente ocupadas por Roberto Requião (MDB), candidato à reeleição, e Gleisi Hoffmann (PT), que é candidata a deputada federal. O limite legal de gastos para o cargo, por candidato, é de R$ 3,5 milhões.

Nas declarações, há curiosidades, como imóveis que não tiveram nenhuma valorização em 4 anos, veículos avaliados em R$ 1,00 e quem diz ter menos bens do que tinha antes de exercer o mandato. Veja, em ordem decrescente, os bens que cada um listou para o TSE.

O empresário Oriovisto Guimarães, do Podemos, integra a coligação “Paraná Invocador”, de Ratinho Junior, e formada por nove partidos: PSD / PSC / PV / PR / PRB / PHS / PPS / PODE / AVANTE. Nascido em Batatais (SP) no dia 12 de agosto de 1945, Oriovisto é estreante na política e declarou um patrimônio de R$ 239.709.825,12.

A maior parte dos seus bens está em participações acionárias em empresas na área da educação. Em apenas uma delas, tem R$ 110, milhões e em outra R$ 24,6 milhões. Apenas uma casa do empresário vale, segundo declarou, R$ 4,89 milhões. É o candidato mais rico entre os postulantes a uma vaga no senado.

A advogada Mirian Aparecida Gonçalves, que foi vice-prefeita de Curitiba, é a candidata ao Senado pelo PT. Ela nasceu no dia 22 de julho de 1961 em Tupi Paulista (SP) e tem um patrimônio de R$ 6.046.706,20. Desse montante, R$ 2,15 milhões se referem a um apartamento. Também tem duas casas, avaliadas em R$ 886.177,46 e R$ 489.500,00. Em joias e objetos de arte declarou ter R$ 260 mil.

Quando foi eleita vice-prefeita da Capital, em 2012, Mirian declarou que tinha R$ 3.336.896,30 em bens, entre os quais dois apartamentos, um de R$ 1,21 milhão e outro de R$ 215 mil. O montante em jóias e obras de arte era o mesmo da atual declaração, R$ 260 mil. Também tinha três terrenos, um deles em Antonina, avaliado em R$ 389,5 mil. O candidato a governador do PT é o Dr. Rosinha.

O ex-deputado federal Nelton Friedrich é candidato ao Senado pela coligação MDB / PDT / SOLIDARIEDADE / PC do B, que tem João Arruda disputando o governo. Nelton é advogado e nasceu em 29 de setembro de 1947, em Toledo (PR). Declarou ter R$ 5.270.443,91 em bens, sendo R$ 1,6 milhão em aplicações de renda fixa. Tem cinco apartamentos, duas casas, três terrenos, salas comerciais e outros bens imóveis.

Nelton Friedrich é filiado ao PDT e embora tenha sido deputado federal, nesta sexta-feira (17/8), o site oficial do TSE não havia sito atualizado sobre os bens declarados por ele nos pleitos anteriores.

O ex-governador Beto Richa (PSDB), que nasceu em Londrina (PR) no dia 29 de julho de 1965, compõe a coligação da candidata à reeleição Cida Borghetti, formada por oito partidos: PP / PTB / DEM / PMN / PMB / PSB / PSDB / PROS. Segundo declarou à Justiça Eleitoral, seu patrimônio soma R$ 4.839.118,14, sendo a maior parte decorrente de crédito de empréstimo (R$ 3,25 milhões).

A julgar pela declaração feita em 2014, quando concorreu à reeleição ao governo do Paraná, o candidato perdeu bens. Na época, informou ter bens que somavam R$ 5.547.332,88. Os cinco apartamentos que apareciam na lista anterior, não foram especificados na atual.

O deputado federal Alex Canziiani (PTB) está na coligação de Cida Borghetti (PP / PTB / DEM / PMN / PMB / PSB / PSDB / PROS). Nasceu em Londrina (PR), no dia 11 de junho de 1964 e informou ter um bens que somam R$ 2.401.824,81. Entre os itens listados, apontou uma casa de R$ 500 mil e R$ 109 mil em veículos, além de um consórcio contemplado de R$ 22,3 mil.

Em 2014, quando foi eleito para a atual legislatura, Canziani informou ter bens R$ 2.031.571,21. Na época, a casa no Condomínio Royal Parque, em Londrina, foi avaliada em R$ 550 mil. Em 2010, quando também foi eleito deputado federal, a declaração de bens do atual candidato a senador indicava um patrimônio de R$ 1.580.972,56.

O senador Roberto Requião (MDB) é natural de Curitiba (PR) e nasceu no dia 5 de março de 1941. Está na coligação do sobrinho, João Arruda, formada por quatro partidos: MDB / PDT / SOLIDARIEDADE / PC do B. Informou ao TSE que tem um patrimônio de R$ 2.049.632,70. A maior parte dos seus recursos declarados está em aplicações de renda fixa, R$ 740 mil. Na lista constam duas vezes patrimônios listados como veículos, em uma delas informa ter R$1,00.

Quando se elegeu senador, em 2010, Requião declarou ter R$ 797.262,00, sendo a maior parte em espécie, R$ 400 mil. Também declarou ter três veículos, sendo um deles um Jeep Willis 1951, que ele estimou valer R$ 1 mil. O apartamento na Avenida Atlântica de Camboriú (SC), que consta na lista de 2010, não foi arrolado na atual.

O professor de ensino superior Flávio Arns, da “Coligação do Bem e da Verdade para Mudar o Paraná” (REDE / DC / PPL), que tem como candidato a governador outro professor, Jorge Bernardi, nasceu em Curitiba (PR) no dia 9 de novembro de 1950 e declarou ter R$ 1.032.616,41 de patrimônio. Seus bens mais valiosos são duas casas, uma de R$ 262 mil e outra de R$ 240 mil.

Flávio Arns disputou sua primeira eleição em 2006, como candidato a governador pelo PT e, em 2010, se elegeu vice-governador pelo PSDB, com Beto Richa. Na declaração daquele ano, ele informou ter R$ 818.852,53. Na lista, constam as mesmas duas casas, inclusive com os mesmos valores declarados este ano.

O advogado Rodrigo Braga Cortes Fialho dos Reis, ou simplesmente Rodrigo Reis, nascido em Curitiba no dia 7 de janeiro de 1974, é candidato pela coligação do PRTB e PRP.

Segundo sua declaração de bens, ele tem R$ 700.062,00, sendo dois apartamentos, um de R$ 450 mil e outro de R$ 240 mil.

É a primeira vez que Rodrigo Reis disputa uma eleição. Tem como primeira suplente Rafaela de Aguirra Pilagallo, de Curitiba, e segundo suplente Celso Tenani, natural de Londrina. A coligação tem como candidato a governador Geonisio Marinho.

O advogado Compadre Luiz Adão é o outro candidato da coligação formada pela Rede / DC / PPL, que tem como candidato a governador o Professor Jorge Bernardi. Nascido em Caçador (SC) em 29 de março de 1963, ele declarou ter bens no valor de R$ 549.001,84. O bem mais valioso dele é um apartamento, avaliado em R$ 485.630,48.

O Compadre Luiz Adão concorreu a um cargo eletivo pela primeira vez em 2004, como candidato a vice-prefeito de Curitiba, pelo PSDC. Pelo mesmo partido, foi candidato a governador (2006), deputado federal (2010 e 2014) e a vereador de Campo Largo (2016). Não se elegeu em nenhuma.

A candidata do PSOL, que está coligado com o PCB, é a professora do ensino médio Jacque Parmigiani, que nasceu na capital paulista em 22 de novembro de 1963. Segundo declarou à Justiça Eleitoral, seu patrimônio é de R$ 232.537,71, sendo quase todo concentrado em uma casa, avaliada em R$ 203.847,71. O restante é de um veículo.

A professora foi candidata a prefeita de Toledo em 2016, também pelo PSOL, quando declarou que tudo que tinha era um Fiat Pálio no valor de R$ 32,5 mil e R$ 204,58 na conta bancária. O candidato a governador da coligação é o Professor Piva.

Gilson Mezarobba, professor de ensino médio, é candidato pelo PCO, que não fez nenhuma coligação e tem como candidata ao governo Priscila Ebara.

Ele nasceu em Jacutinga (RS), no dia 30 de dezembro de 1994 e informou o TSE ter um patrimônio de R$ 170 mil, sendo R$ 150 mil de uma casa.

É a primeira vez que Mezarobba concorre a algum cargo eletivo. Ele tem como suplentes José Carlos Telles e Antonio Guariza, ambos do Parido da Causa Operária.

A advogada Roselaine Barroso Ferreira, nascida em Sertãozinho (SP), no dia 14 de dezembro de 1983, é filiada ao Patriotas, que está coligado com o PSL e o PTC, que não têm candidato a governador.

A coligação chegou a lançar Ogier Buchi (PSL), que até esta sexta-feira (17/8) não constava na lista de registros do TSE. Extra-oficialmente, o Patriotas deve apoiar Ratinho Junior (PSD).

Na declaração de bens, Roselaine informa ter um patrimônio de R$ 40 mil, sendo R$ 30 mil de terreno e R$ 10 mil em quotas de capitais. É a primeira vez que ela se candidata a um cargo eletivo.

O administrador de empresas José Maria Boni, que na urna vai aparecer como Zé Boni, é candidato pela coligação “Unidos pelo Paraná”, formada pelo PRTB e PRP, que tem como candidato ao Palácio Iguaçu Geonisio Marinho. Zé Boni nasceu em Loanda, no dia 5 de setembro de 1977. Ele declarou ter R$ 30 mil em bens.

Ele já foi candidato a vereador em Santa Cruz de Monte Castelo  (2004), deputado estadual (2006) e foi eleito vereador em Monte Castelo em 2008, sempre pelo PSL. No site do TSE, nesta sexta-feira (17/8), não havia informações disponíveis sobre suas declarações de bens anteriores.

O servidor público estadual Rodrigo Tomazini, que nasceu em Botucatu (SP) no dia 19 de janeiro de 1978, é candidato pela coligação PSOL e PCB, que tem como candidato ao governo o Professor Piva.

O site do TSE, nesta sexta-feira (17/8) ainda não havia disponibilizado suas declaração de bens, tanto para esta eleição quanto para as eleições anteriores nas quais concorreu.

Em 2010, Tomazini foi candidato a deputado estadual e em 2014 foi candidato a governador do Paraná, nas duas vezes pelo PSTU. Nestas eleições, ele tem como primeiro suplente Augusto Lima e segunda Alessandra Manhães, ambos do PSOL.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.