Dr. Rosinha, pré-candidato do PT, diz que “decisão de desembargadores do TRF-4 foi vergonhosa”. E que “Lula é um preso político, sequestrado pelo juiz Sérgio Moro”

Por: - 9 de julho de 2018
Dr. Rosinha, ex-deputado e pré-candidato a governador pelo PT: decisão do TRF-4 foi ilegal e inconstitucional

O pré-candidato a governador pelo PT, o ex-deputado Dr. Rosinha, que estará em Maringá na próxima quarta-feira (11/7), disse no início da noite desta segunda-feira por telefone  que “a postura do juiz Sérgio Moro e de pelo menos dois desembargadores no domingo foi vergonhosa e as decisões contraditórias levam o Poder Judiciário ao descrédito”.

Os dois desembargadores a que se referiu Dr. Rosinha são João Pedro Gebran Neto, relator do processo que levou o ex-presidente Lula à prisão, e o presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, Carlos Thompson Flores. Os dois foram contrários à decisão do  desembargador Rogério Favreto pela soltura de Lula. Os três são do TRF-4.

Dr. Rosinha disse que Moro, Gebran Neto e Thompson Flores “agiram de forma ilegal e inconstitucional”. Argumentou que “uma decisão de um desembargador de plantão só ser revista em plenário do próprio tribunal ou pelo Supremo Tribunal Federal, jamais por decisão monocrática, como ocorreu no domingo”.

Disse que “Moro, por estar de férias em Portugal, não poderia se manifestar, mas ficou ligando para todo mundo”, sem citar nomes. Questionado se o fato do desembargador Rogério Favreto ter sido filiado ao PT por 16 anos e trabalhado no governo Dilma Rousseff teria influenciado na sua decisão de conceder a soltura de Lula. Dr. Rosinha respondeu:

O pai do Sérgio Moro foi filiado ao PSDB de Maringá. O ministro do STF Alexandre de Moraes foi ministro do Michel Temer. O procurador Deltan Dellagnol vive se manifestando politicamente nas rede sociais. O prefeito de São Paulo, João Dória, do PSDB, tira foto com ministros das altas cortes em festa no exterior. Mas isso ninguém questiona. O fato é que este país está cheio de decisões judiciais politizadas. 

Dr. Rosinha se disse cético sobre a possibilidade de Lula deixar a prisão em um curto espaço de tempo, “pois não se trata de um preso comum e sim de um preso político, sequestrado pelo juiz Sérgio Moro”. Reafirmou a condição de pré-candidato a presidente do líder petista e a convicção de que “Lula será eleito presidente no primeiro turno”.

O ex-deputado está realizando, como ato de pré-campanha eleitoral, a “Caravana Lula Livre – Dr. Rosinha Governador” pelo interior do Paraná. Nesta terça-feira (10/7 passará por Paranavaí e Paranacity, e na quarta por Paiçandu, Sarandi e Maringá. Aqui, a plenária da caravana será às 20 horas, na Rua São Silvestre, 127 – Vila Santo Antônio, sede do PT.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.