Projeto para instalar câmeras de vídeo nas salas de aula da rede municipal de Maringá vai a votação assinado pelos 15 vereadores

Por: - 14 de maio de 2018
Imagem ilustrativa

O projeto de lei que prevê a instalação de câmeras de vídeo nas salas de aula da rede municipal de ensino de Maringá vai ser discutido nesta terça-feira (15/5), em sessão ordinária da Câmara Municipal, a partir das 9 horas.

A proposta é assinada pelos quinze vereadores. Mesmo assim, a tendência é que haja resistência na aprovação. Até o presidente da Câmara, Mário Hossokawa (PP) afirmou que não era o momento para se colocar a discussão em pauta.

“Precisa ser melhor discutida”, afirmou. A maior resistência em relação ao texto que vai ser colocado em votação é referente à instalação de câmeras de vídeo nas salas aula.

“Somos favoráveis a instalar câmeras nas áreas externas, mas dentro da sala de aula não. Os professores e alunos têm o direito a ter a imagem protegida”, afirmou a presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Maringá (Sismmar), Iraídes Baptistoni.

Em paralelo à discussão na Câmara, a Secretaria Municipal de Educação trabalha para implantar o monitoramento das escolas e Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs).

“A secretaria de educação está trabalhando nesse projeto que será dividido em duas etapas. A primeira é realizar o levantamento inicial, mensurando a quantidade de câmeras, qual a tecnologia mais adequada e valores. A segunda é a instalação de fato do monitoramento”, afirmou o gerente administrativo da pasta, Paulo Pompeo.

Sobre a instalação de câmeras de vídeo nas salas de aula, o discurso é mais moderado. “É um tema a ser discutido junto às escolas, professores e comunidade escolar para vermos as possibilidades”, disse.

Um dos primeiros signatários do projeto de lei, o vereador Do Carmo (PSL) defendeu a inclusão do projeto em pauta. “O projeto foi retirado no ano passado a pedido do sindicato. Estamos no mês cinco (maio) e precisamos retomar a votação”, ponderou.

Para o vereador, a questão da instalação das câmeras de vídeo nas salas de aula já estaria superada. “Em princípio, as imagens não seriam liberadas aos pais. A finalidade do projeto é resguardar o profissional e as crianças”, defende.

Texto prevê câmeras de vídeo nas salas de aula

PROJETO DE LEI Nº 14226/2017

Dispõe sobre a instalação de câmeras de vídeo, com dispositivo para gravação de imagens e áudios, nos estabelecimentos pertencentes à rede pública municipal de educação e ensino do Município de Maringá e dá outras providências.

Art. 1.º O Chefe do Poder Executivo promoverá a instalação de câmeras de vídeo, com dispositivo para a gravação de imagens e áudios, nos estabelecimentos pertencentes à rede pública municipal de educação e ensino do Município de Maringá.

§ 1.º Todas as salas de aulas dos estabelecimentos deverão dispor do equipamento
indicado no caput deste artigo.

§ 2.º As câmeras de vídeo também deverão ser instaladas em pontos estratégicos das
áreas internas e externas dos estabelecimentos de educação e de ensino do Município.

Art. 2.º As filmagens deverão ser armazenadas pelo prazo de 90 (noventa) dias, sob a
responsabilidade da direção do estabelecimento, findo o qual poderão ser apagadas.

Art. 3.º As imagens deverão ser disponibilizadas em tempo real aos pais dos alunos
cadastrados junto à Administração Municipal, através de aplicativo próprio.

Art. 4.º Cada câmera de vídeo deverá possuir sinalização, através de placas indicativas,
informando que o ambiente está sendo filmado.

Art. 5.º As despesas decorrentes da execução desta Lei correrão à conta das dotações
orçamentárias próprias, suplementadas se necessário.

Art. 6.º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 7.º Fica revogada a Lei n. 8.938, de 06 de junho de 2011.

Plenário Vereador Ulisses Bruder, 30 de maio de 2017.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.