Servidores da Prefeitura de Maringá querem 10% de reajuste no salário e mais R$ 70 de vale-alimentação. Administração aguarda reivindicações oficiais para discutir ponto a ponto

Por: - 7 de fevereiro de 2018
Servidores municipais de Maringá em assembleia no início de 2018, quando aprovaram reivindicação de 10% de reajuste no salário. No final receberam 1,81% / Sismmar

O Sindicato dos Servidores Municipais de Maringá (Sismmar) vai encaminhar à Prefeitura de Maringá uma reivindicação de aumento de 10% nos salários. Em assembleia realizada na noite desta terça-feira (6/2), na Câmara Municipal, os servidores também decidiram que irão pedir um aumento no valor do vale-alimentação e uma redução da contrapartida descontada nos holerites.

A data-base da categoria é o dia 1º de março e o pagamento com os eventuais reajustes e benefícios que forem concedidos vence no dia 31 de março. Segundo o chefe de gabinete da Prefeitura de Maringá, Domingos Trevizan, a reivindicação dos servidores ainda não foi formalizada e nenhuma há nenhuma reunião agendada.

“Pretendemos discutir ponto por ponto para ver o que poderemos fazer. Oficialmente ainda não chegou nada”, afirmou o chefe de gabinete na tarde desta quarta-feira (7/2). Trevizan não quis analisar o percentual aprovado pelos servidores e nem dizer se o município terá condições de conceder o reajuste solicitado.

“Depende mais do limite prudencial de gastos. Teremos de fazer uma série de projeções que envolvem a reivindicação, as futuras contratações do concurso. Só então poderemos chegar a um número técnico para discutir”, disse.

Dos 10% de reajuste que o Sismmar irá apresentar na campanha salarial de 2018, 2,23% se referem a inflação e a busca é por um ganho real de 7,7%.

Em relação ao vale-alimentação, os servidores querem um aumento no valor do benefício dos atuais R$ 250 para R$ 300. Eles também cobram uma redução da contrapartida, dos atuais 20%, para 10% do total. Na prática, o valor líquido recebido pelos funcionários de vale-alimentação passaria de R$ 200 para R$ 270.

Outras pautas cobradas pelos servidores

Os servidores municipais também deliberaram pela cobrança dos retroativos referente ao parcelamento da inflação, no reajuste salarial de 2016. Pelos cálculos apresentados pelo Sismmar, com base em informações do Dieese, um servidor que ganhe R$ 1 mil terá direito a R$ 420 de reposição.

Durante a assembleia, os servidores também decidiram incluir na campanha salarial a inclusão de pautas permanentes. As reivindicações incluem o Estatuto da Guarda Municipal, o Regime Contratual Único, a jornada de 30h para servidores da saúde, revisões nos planos de cargos e carreiras geral e do magistério e o pagamento do piso nacional para os agentes comunitários de saúde (ACS) e de endemias (ACE).

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.