Câmara abre concorrência para reformas no prédio, que tem problemas de segurança e foi reprovado pelos Bombeiros

Por: - 12 de dezembro de 2017

Cinco empresas participam da concorrência para as obras de reformas no prédio da Câmara de Maringá, que precisa se adequar às normas previstas no Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico do Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Paraná. O prédio não tem, por exemplo, saída de emergência e rotas de fuga. O preço máximo da concorrência 001/17 é R$ 1.231.216,73.

A abertura dos envelopes das cinco empresas foi na segunda-feira (11/12), mas como apenas uma empresa, a Construtora Rosa dos Ventos Ltda, formalizou o interesse de não recorrer – as outras quatro permaneceram em silêncio -, a Comissão de Licitação abriu prazo de cinco dias, de 12 a 18/12, para receber eventuais interposição de recursos referentes à habilitação das concorrentes.

Além da Rosa dos Ventos, participam da concorrência a Tradição Construções Civis Ltda – ME, Proec Engenharia Civil Eireli – EPP, Gertec Engenharia Civil Ltda – EPP e Construção Civil – Eireli EPP. O presidente da Câmara, Mário Hossokawa (PMDB), lembra que o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), firmado com o Corpo de Bombeiros, expira no início de 2018 e, por isso, tem pressa para o início e a conclusão das obras.

A falta de segurança e a necessidade de se fazer uma reforma no prédio da Câmara se arrastam desde 2013, quando uma vistoria do Corpo de Bombeiros apresentou uma série de irregularidades. O plenário chegou a correr risco de ser interditado. Na época, o presidente da Casa, Ulisses Maia, implementou algumas medidas emergenciais e assinou um TAC, que vence no próximo ano.

Uma das providências  do então presidente da Câmara foi mandar retirar a porta giratória, considerada estreita demais pelo Corto de Bombeiros. Ela instalada após a Câmara sofrer atentados a bala, no dia 29 de julho de 2011, quando dois homens em uma moto, usando uma pistola, fizeram vários disparos, estilhaçando os vidros da entrada e deixando marcas de chumbo nas paredes.

Além dos problemas de segurança e combate a incêndio apontados no laudo do Corpo de Bombeiros, o prédio da Câmara tem problemas de infiltrações e, quando chove muito, há goteiras. A falta de luminosidade natural também é apontada por quem frequenta os corredores da Casa. A escadaria do plenário, por exemplo, é um empecilho à acessibilidade.

Empresas que disputam a concorrência

  • Tradição Construções Civis Ltda – ME, inscrita no CNPJ sob n. 21.481.871/0001-44,
    representada por seu sócio administrador, Devair Antonio Del Pintor.
  • Proec Engenharia Civil Eireli – EPP, inscrita no CNPJ sob n. 79.124.442/0001-08,
    representada por seu sócio administrador, Eduardo Cawahisa.
  • Gertec Engenharia Civil Ltda – EPP, inscrita no CNPJ sob n. 01.104.31210001-08, representada por seu sócio administrador, Patricia Hyromi Assakawa R. Martins.
  • Construcâo Civil – Eireli EPP, inscrita no CNPJ sob n. 08.696.723/0001-89, representada por seu sócio administrador, Rodoipho Martins Garcia.
  • Construtora Rosa dos Ventos Ltda, inscrita no CNPJ sob n. 80.396.286/0001-05, representada por seu sócio administrador, Gabriel Alberto Solari Escursell.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.