Maioria dos deputados do Paraná vota para barrar segunda denúncia contra Michel Temer

Por: - 25 de outubro de 2017

A Câmara dos Deputados não autorizou o Supremo Tribunal Federal (STF) a processar o presidente Michael Temer (PMDB) por 251 votos a 233, sendo que 25 deputados federais faltaram e 2 se abstiveram. A votação foi encerrada por volta das 22 horas desta quarta-feira (25).

Para arquivar a denúncia bastariam 172 votos e para autorizar as investigações seriam necessários 342.  Dos 30 deputados federais do Paraná, 18 ajudaram a barrar o andamento do processo no STF e 12 foram favoráveis ao prosseguimento.

Como o relatório da Comissão de Constituição e Justiça, que teve como relator o deputado Bonifácio de Andrade (PSDB-MG), foi favorável a inadmissibilidade da denúncia, os parlamentares favoráveis ao prosseguimento da investigação votaram “não”. E os que autorizaram o Supremo Tribunal Federal (STF) a processar o presidente votaram “sim”.

Os deputados do Paraná começaram a ser chamados a se pronunciar sobre a denúncia contra o presidente Temer no início da noite. (Veja abaixo como cada um votou). Dos representantes de Maringá, Edmar Arruda (PSD) e Luiz Nishimori (PR) votaram sim e  deputado federal Enio Verri (PT) votou não.

Com a vitória dos partidários do presidente, Temer só poderá ser processado quando perder o fórum privilegiado. Enquanto estiver na presidência da República, só com autorização da Câmara Federal.

O pedido da Procuradoria Geral da República era para que o STF pudesse processar, por crime comum, o presidente da República e os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, e da Secretaria-Geral, Moreira Franco.

O presidente e os ministros são acusados de formar uma organização criminosa para ocupar cargos públicos e arrecadar propinas, estimadas em R$ 587 milhões. Temer também é acusado de obstrução de Justiça. O Planalto nega todas as acusações.

Enquanto os deputados se articulavam para a votação, Temer passou mal, com obstrução na bexiga, e foi levado ao hospital, onde permaneceu por 7 horas. Ao deixar a unidade, de terno e gravata, disse aos jornalistas: “Estou inteiro”. Temeer é o presidente mais velho da história do Brasil – completou 77 anos no final de setembro.

 

Veja quem são os 18 deputados paranaenses que ajudaram a barrar a denúncia

Alex Canziani (PTB)
Alfredo Kaefer (PSL)
Dilceu Sperafico (PP)
Edmar Arruda (PSD)
Evandro Roman (PSD)
Giacobo (PR)
Hermes Parcianello (PMDB)
João Arruda (PMDB)
Luiz Carlos Hauly (PSDB)
Luiz Nishimori (PR)
Nelson Meurer (PP)
Nelson Padovani (PSDB)
Osmar Bertoldi (DEM)
Osmar Serraglio (PMDB)
Reinhold Stephanes (PSD)
Sergio Souza (PMDB)
Takayama (PSC)
Toninho Wandscheer (PROS)

Veja quem são os 12 deputados paranaenses que tentaram dar prosseguimento à investigação

Zeca Dirceu (PT)
Sandro Alex (PSD)
Rubens Bueno (PPS)
Luciano Ducci (PSB)
Leopoldo Meyer (PSB)
Leandre (PV)
Enio Verri (PT)
Diego Garcia (PHS)
Delegado Francischini (SD)
Christiane De Souza Yared (PR)
Assis Do Couto (PDT)
Aliel Machado (REDE)

A diferença em relação à primeira denúncia, votada na Câmara dos Deputados no dia 2 de setembro, é que nenhum dos paranaenses deixou de votar. Na denúncia anterior, três deputados não compareceram à sessão: Luciano Ducci (PSB), Osmar Serraglio (PMDB) e Reinhold Stephanes (PSD).

  • Postagem atualizada às 8h28 desta quinta-feira (26/10/2017).

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.