Prefeitura quer financiar US$ 75 milhões para obras no Contorno Sul e Eixo Monumental

Por: - 29 de setembro de 2017
Foto divulgada pela Prefeitura de Maringá em 2010, logo após a recuperação do asfalto. Foi a última intervenção no trecho / Divulgação PMM

Em busca de um financiamento internacional que poderá atingir US$ 75 milhões, o equivalente a R$ 240 milhões, a Prefeitura de Maringá está disposta a gastar R$ 1 milhão na contratação de uma empresa especializada em serviços de engenharia e assessoria técnica.

O objetivo é viabilizar os projetos necessários para aprovar um empréstimo internacional junto ao Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF) para o chamado Programa de Infraestrutura Urbana, Ambiental e Social para a Melhoria da Qualidade de Vida da População de Maringá.

A disposição da administração municipal em investir na terceirização dos projetos visa a cumprir com todas as adequações exigidas pelas instituições internacionais que fazem avaliações criteriosas para aprovar as operações financeiras.

Outra dificuldade que o município enfrentará na busca pelos recursos é a necessidade de aprovação do contrato pelo Senado e pelo Tesouro Nacional.

O secretário de Obras Públicas, Marcos Zucoloto, explicou que a concretização do financiamento, de até US$ 75 milhões, garantiria recursos para a reconstrução do Anel Viário Prefeito Sincler Sambatti, o Contorno Sul, e para a revitalização do chamado Eixo Monumental, compreendido entre a Catedral e a Vila Olímpica.

Contorno Sul tem dinheiro reservado no orçamento

Em paralelo à busca por dinheiro em bancos estrangeiros, a administração municipal irá reservar recursos no orçamento de 2018 para realizar os estudos e os primeiros projetos necessários para as obras nos doze quilômetros do Contorno Sul.

“Os projetos do Contorno são necessários, até mesmo para pleitarmos recursos em outras fontes como o programa Paranacidade”, afirmou Zucoloto. Segundo o secretário, a obra é necessária e grande. “Envolve a remoção do pavimento atual, a construção de marginais, a implementação de uma pista dupla completa, além de viadutos e trincheiras”, disse.

Zucoloto adiantou que há, por exemplo, necessidade de construção de viadutos em avenidas como a Carlos Borges e Joaquim Moleirinho. “Também precisamos pensar na Avenida Pioneiro Antônio Ruiz Saldanha, que futuramente servirá como acesso ao parque industrial.”

Eixo monumental passa por concurso nacional

Mapa do eixo monumental divulgada pela Prefeitura de Maringá no anúncio do concurso para o projeto / Prefeitura de Maringá

Além do Contorno Sul, caso consiga viabilizar o financiamento internacional de US$ 75 milhões, a administração municipal pretende realizar a repaginação do Eixo Monumental, compreendido entre a Praça da Catedral até a Vila Olímpica.

“Pretendemos realizar um concurso junto ao Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) e outras entidades para que possamos analisar diferentes visões de arquitetos e urbanistas. Existe a possibilidade de se pensar em calçadões, em mudanças no zoneamento, manter parte da estrutura”, sugeriu.

“O que se pretende é humanizar os espaços livres, priorizar o pedestre e criar espaços de convivência, integrando o Eixo Monumental às estruturas cicloviárias existentes, além de propor soluções para os conflitos de fluxo entre pedestres, ciclistas e veículos na área central”, observou o arquiteto Celso Saito, quando do anúncio da abertura de um concurso nacional voltado à escolha de um projeto para esta área central da cidade.

A expectativa é que o concurso seja lançado nos próximos dias, já que a previsão inicial era abrir as inscrições na primeira quinzena de setembro. Entre as exigências divulgadas até o momento, o projeto executivo deverá ser dividido em fases, para possibilitar que a obra seja licitada e executada em etapas.

Veja aqui o documento divulgado pela prefeitura sobre o concurso. 

 

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.