Influencer e personal trainer morre à espera de transplante de rim no Paraná

Compartilhar

Foto: Reprodução / Redes Sociais

Cristhian Annes nasceu com apenas um rim e precisou fazer diálise; ele tinha mais de 42 mil seguidores no Instagram e era apaixonado por esportes

O personal trainer e influenciador digital Cristhian Annes, de 34 anos, morreu na segunda-feira (5) em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, depois de dois meses na fila de espera por um transplante de rim. Ele nasceu com apenas um rim e descobriu em 2022 que o órgão estava comprometido. Ele iniciou o tratamento de diálise em dezembro de 2023 e ficou internado desde 20 de janeiro.

A namorada dele, Wanna Teixeira, disse que ele era pós-graduado em Bodybuilding Coach/Nutrição Esportiva e trabalhava como consultor de musculação. Ele também participava de competições de fisiculturismo e fazia trabalhos como modelo. Ele tinha mais de 42 mil seguidores no Instagram, onde compartilhava dicas de saúde e bem-estar.

Wanna contou que o esporte era uma das grandes paixões de Cristhian e que ele não queria parar de treinar mesmo durante o tratamento. Ele entrou na fila de transplante de rim em dezembro e, em janeiro, soube que estava na 70ª posição. Ele tinha esperança de receber um novo rim em breve, mas seu quadro de saúde piorou e ele precisou ser entubado e receber transfusão de sangue.

Ele foi sepultado no Cemitério Municipal São José, de Ponta Grossa, na terça-feira (6). Nas redes sociais, amigos e familiares lamentaram a morte do influencer e personal trainer.

Cristhian descobriu que nasceu com apenas um rim quando era criança, mas nunca teve grandes problemas por causa disso. Em 2022, ele fez um exame de rotina e viu que o rim não estava funcionando bem. Ele demorou mais de um ano para procurar ajuda médica e começar a fazer diálise.

Em 2023, 15 pessoas morreram no Paraná enquanto esperavam por um transplante de rim. O estado tinha 2.011 pacientes na lista de espera pelo órgão, sendo 1.710 na fila ativa. O rim é o órgão mais demandado na lista estadual.

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) disponibiliza um informativo online com as principais orientações para quem deseja se tornar um doador. Veja:

  • Como ser doador? Avise a família, órgãos só poderão ser doados com autorização dos parentes mais próximos;
  • Quem pode doar? Qualquer pessoa, após a confirmação da morte e mediante autorização da família;
  • Quais órgãos podem ser doados? Coração, rins, pâncreas, pulmões, fígado e também tecidos, como: córneas, pele, ossos, valvas cardíacas e tendões. Um doador pode ajudar muitas pessoas;
  • Doação por pessoa falecida: pacientes diagnosticados com morte encefálica (ME) podem ser doadores de órgãos e tecidos. Nos casos em que o falecimento decorre de parada cardiorrespiratória (PCR), podem ser doados apenas tecidos;
  • Doador vivo: qualquer pessoa saudável pode ser doadora em vida de um dos seus rins ou parte do fígado para um familiar próximo (até 4ª grau consanguíneo), porém quando a doação for para a alguém sem grau de parentesco é necessário autorização judicial;
  • Quem recebe os órgãos: os órgãos doados são destinados a pacientes que necessitam de transplante e estão aguardando em uma lista única de espera. A fila é fiscalizada pelo Sistema Nacional de Transplantes do Ministério da Saúde e pelas Centrais Estaduais de Transplantes. O serviço cita a necessidade de autorização de familiares, diferencia os tipos de doadores e explica como funciona o processo de doação.
Fonte: G1 PR

Compartilhar