Bani: o mundo frágil, ansioso, não linear e incompreensível

Você já ouviu falar na sigla inglesa “Bani”? Em português, ela resume quatro conceitos: frágil, ansioso, não linear e incompreensível.

No “Papo de Especialista” desta quinta-feira (09), a professora, psicóloga e mestre em educação Andrea Valente, traz uma reflexão sobre a atual sociedade chamada Bani.

Vinda do inglês, “bani” quer dizer “broken”, “anxious”, “nonlinear” and “incomprehensible”. Traduzida para o português, a sigla se transforma em “Fani”, “frágil”, “ansioso”, “não linear” e “incompreensível”.

Tenta caracterizar uma geração vivendo realidades emocionais interessantes, e que é preciso aprender a lidar

Mas o que isso quer dizer?

Essas quatro características estão sendo atribuídas a nova geração de crianças e principalmente de jovens adultos, estes que estão entrando no mercado de trabalho atual.

O mundo contemporâneo é muito ágil em mudanças, e incertezas, as informações vem e vão muito rápido, assim como a tecnologia, que evolui velozmente. Essas características da sociedade atual afeta a realidade e o comportamento das pessoas.

No entanto, mesmo que a realidade de hoje seja acompanhada de fragilidade e ansiedade, e que essas condições sejam potencializadas pelo mundo, a exigência social é de comportamentos emocionalmente centrados.

Apoio familiar na educação: A psicóloga ainda ressalta a importância da criação, por parte das instituições de educação, de grupos familiares para auxiliarem o desenvolvimento das crianças no ensino e comportamento. Para que as crianças de hoje, cresçam e se desenvolvam de uma maneira saudável e sejam preparadas e fortalecidas para os desafios do mundo atual.

O mundo atual proporciona diversas coisas boas, como a conectividade, flexibilidade de horários no mercado de trabalho, série de coisas interessantes e boas que acompanham a tecnologia, no entanto Valente chama a atenção para o fato de que as pessoas precisam se preparar para vivenciar na prática esses aspectos.

A professora afirma que se a sociedade continuar com o mesmo tipo de educação, cultura e visão de anos atrás, ela irá sofrer e formar pessoas muito frágeis. Ela reforça ainda a necessidade das “soft skills” dentro da sociedade.

O desafio atual é passar pelas dificuldades e “armadilhas” do mundo contemporâneo sem adoecer, física e mentalmente.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.