Você já ouviu falar da metodologia DISC?

A Master Coach, Mércia Acciette Menezes, foi a convidada do “Papo de Carreira” desta terça-feira (21). Ela é analista de perfil comportamental, especialista em inteligência emocional, neurociência e performance humana.

Clique AQUI para assistir a live na íntegra.

Mércia trabalha com o método “O poder da excelência”, e ajuda no desenvolvimento de pessoas e empresas, para que estas saibam como desempenhar suas funções de maneira saudável e produtiva.

Através da psicologia e neurociência, Mércia explica o perfil psicológico e comportamental de seus clientes, e os auxilia na jornada do autoconhecimento. “Eu ajudo pessoas a serem amigas do cérebro”, diz Mércia.

Segundo Mércia, a mente se torna a nossa maior inimiga quando nós não nos conhecemos, pois quando nos desgastamos muito mental e emocionalmente, nos auto sabotamos, tendemos a procrastinar, a perder a produtividade e consequentemente a lucratividade.

Menezes explicou que cada pessoa tem um perfil psíquico e características que são ideais para determinadas atividades, empregos e carreiras.

Mércia ainda discorreu um pouco sobre a metodologia DISC, criada por William Marston, e abordou os quatro tipos de perfis.

D – Dominantes: Pessoas que possuem cérebro dominante, amam desafios, sabem liderar, não gostam de ser mandadas, são competitivas e não se adequam a rotinas;

I – Influentes: O cérebro dessas pessoas é voltado para a comunicação, elas precisam se comunicar e interagir com outras pessoas. Possuem grandes habilidades artísticas, são falantes e não trabalham bem isoladas e fixas na frente de um computado;

S – Estáveis: Assim como os influentes, essas pessoas têm o cérebro voltado para a comunicação com outras pessoas, no entanto são mais ouvintes do que falantes. São conselheiras, não gostam de conflitos, não se importam de receber ordens, são planejadoras e gostam de segurança e estabilidade;

C – Conformes: São aquelas pessoas que têm facilidade para lidar com números e cálculos. Muitas vezes são vistas como “frias”, pois percebem facilmente os erros e “falam na lata”, no entanto, diferente dos dominantes, elas mais ouvem do que falam.

Segundo Mércia, é muito importante que as pessoas saibam identificar seus próprios perfis, principalmente dentro do mercado de trabalho, e se autoconheçam, para entenderem suas características e saberem como se comunicar com os demais perfis e pessoas diferentes de si mesmas.

Ela ainda frisou que uma pessoa pode ou possuir apenas um perfil, ou a combinação de até três, e que os perfis comportamentais se formam já dentro do ventre da mãe, na gravidez, com a formação do cérebro.

“É preciso encontrar a própria identidade, porque o propósito somos nós”, ressaltou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.