Doutor Estranho no Multiverso da Loucura

Foto: Filme Doutor Estranho no Multiverso da Loucura / Fonte: Disney

Vida Longa e próspera!

E ae terráqueos, tive que ver esse filmaço na estreia, afinal foram meses debatendo teorias, vendo vazamentos, e aquecendo o coraçãozinho com esperança, tudo isso pra ver o Dr. Esquisito nas telonas de novo, e devo alertá-los que essa matéria contém Spoiler, portanto, leia por sua livre e espontânea vontade e responsabilidade;

ATENÇÃO ALERTA DE SPOILER!

De cara já vou dizendo que gostei do começo do filme, já começou na voadora, Shuma Gorath, a estrela do mar olhuda destruindo a cidade atrás da América Chavez, e o Doutor Estranho lutando contra ela, daí já chega Wong, o novo mago supremo, e entra na porradaria também … Uma coisa eu falo, tanto essa quanto todas as cenas de lutas, foram maravilhosas, ponto positivo desse filme.

Bom, como eu já havia profetizado, a Feiticeira Escarlate é a vilã do filme, e ela está sen…sa…cional, juntou a interpretação fantástica da atriz Elizabeth Chase Olsen, com um roteiro digno para a personagem, soube aproveitar e dar os holofotes que ela precisava.

Como eu também havia dito, a Feiticeira usa o Darkhold, também chamado de “livro dos condenados”, é um livro de magia escrito por Chthon, o deus foi o primeiro a usar a usar magia do caos. O livro foi feito usando a carne de um dos seus irmãos, escrito com seu próprio sangue e amaldiçoado com diversas almas.

Esse filme desbravou o “terror” na Disney, sabemos que a gigante do entretenimento sempre foi muito rígida quanto as cenas que contenham sangue, ou crueldade, assim sendo, todas as obras da Disney são “Family Friend”, mas esse filme, muito embora seja forçar a barra chamar de terror, teve umas cenas com sangue e mortes com requinte de crueldade, além destas, a vilã soube parecer ameaçadora, Elizabeth realmente entregou uma vilã excepcional.

Foi um filme ímpar, totalmente diferente do que estamos acostumados dentro do UCM, ponto para o Sam Raimi diretor do filme, que foi escolhido, não apenas por já ter experiência, afinal foi ele quem fez a trilogia de homem aranha original, mas também por trazer esses elementos de terror e suspense para o Longa.

Mas vou falar, quem roubou a cena nesse filme mesmo foi a pequena America Chavez, foi um deleite conhecer a personagem nas telonas, a atriz Xochitl Gomez de apenas 16 anos mandou muito bem!

America Chavez possui super força, super velocidade e pode voar, mas seu maior poder com certeza é a capacidade de abrir portais e viajar através do tempo e do multiverso, e isso minha gente, foi muito bem apresentado no filme.

A cena mais legal em minha opinião foi essa viagem, onde eles passam por diversos universos, se tornam, desenho animado (What IF…?), pintura, cubos… enfim, foi muito bem feito essa parte, vê-los pulando de um para outro universo e interagindo com outros Doutor Estranho foi muito legal de ver.

Agora vamos falar dos iluminatis, os iluminatis do universo para o qual Strange e America foram são:

  • Capitã Carter;
  • Raio Negro;
  • Reed Richards (Senhor fantástico do quarteto fantástico);
  • Capitã Marvel;
  • Mordo;
  • Charles Xavier.

Teve três filmes que vi a galera dando uns gritos no meio do cinema, Avengers: End Game (quando o Capitão América pego o Mjolnir), Homem aranha: sem volta para casa (quando aparecem os outros aranhas) e esse agora quando aparece o Reed e o Charles Xavier (Professor Xavier para os íntimos). Gente foi um fã servisse que já valeu a pena o filme só por isso aí.

Mas nem tudo são rosas na vida de Joseph Climber né? Começou pela cena de batalha contra os Iluminatis, todo mundo sabe que a Wanda é poderosíssima, mas gente do céu, ela acabou com os caras mais OP badass rapidão, e a Capitã Marvel morreu soterrada por uma viga (wtf???). Poxa, nem deu tempo de desfrutar ver o professor, o Reed e já acabou.

O filme não teve aqueeeela avaliação esperada, do público e em grande maioria esse foi o motivo, foi tudo muito rápido, foram apresentadas muitas coisas novas, tudo muito rápido, tudo aconteceu depressa demais e nem deu tempo de digerir o que estava acontecendo, poderia ter trabalhado tudo um pouquinho mais né Sr. Sam Raimi?

Outra coisa que eu honestamente esperava mais, é o próprio “multiverso da loucura” acho que ante ao multiverso infindável … ficou um tanto quanto findável né? Podia ter ido mais longe, explorado mais personagens e universos, teve o fã servisse? Opa! Ficou ruim por conta disso? Não, mas poderia ter tido mais esmero nessa parte e apresentado um tiquinho a mais.

Bom esse foi meu humilde review do Doutor Estranho 2, é muito bom, e vale muito a pena ir nos cinemas assistir!

BÔNUS DA SEMANA 

No bônus vamos falar sobre as duas cenas pós créditos, vamos explicar para você que ficou com a pulga atrás da orelha de … “Quem é essa mulher de cabelo branco que apareceu na cena? E … quem é aquele cara que ficou se batendo por 3 semanas?

Na primeira cena aparece uma maga de cabelos brancos, essa é Clea Strange que é interpretada por Charlize Theron, nas histórias em quadrinhos, Clea é esposa de um Stange de uma realidade alternativa e sobrinha de Dormammu, que governa a dimensão negra, o que tem tudo a ver com o olho que surge na testa de Strange, já que ele utilizou o Darkhold e teve contato com a magia do caos.

A segunda cena é uma cena engraçada em que o ator Bruce Campbell (quem estrelou em “Evil Dead”, filme do mesmo diretor), ele sempre aparece nos filmes do diretor Sam Reimi, o personagem de Bruce é um vendedor de cachorro quente que ao cobrar America fica sob o efeito da magia de Strange se socando por 3 semanas, então ele olha para a mão dele que para de se bater e fala “acabou” tanto por que acabou os efeitos da magia quanto o filme, mas o que poucos sabem é que o personagem de Bruce no filme Evil Dead também fica se batendo, pois a mão dele fica possuída, clara referência ao filme de 1981.

Que a força esteja com vocês!

– Escrito por Gustavo Neme

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.