Fases do Luto: quais são e como enfrentá-las

luto

Sabemos que o ciclo da vida humana é finito, pois todos um dia se vão. Mesmo assim, é muito difícil lidar com a partida de pessoas amadas, pois o processo de luto é muito doloroso e exige coragem para conseguir transmutar a profunda tristeza em saudade da pessoa que se foi. Mas aos poucos, durante o enfrentamento ao luto, a dor da ausência dá lugar às boas lembranças que a pessoa falecida deixou.

Para a psicóloga Ana Teresa Marzolla, especialista em acolhimento ao enlutado, “O processo de luto se encerra quando as lembranças de quem partiu são mais intensas do que as lembranças da perda”. Por isso, o processo de luto precisa ser experienciado em sua totalidade, porque cada fase é importante para retomar o curso da vida e deixar o sofrimento para trás. Conhecer cada uma das fases do processo de luto pode te ajudar a reconhecê-las e ter a resiliência necessária para atravessar cada uma delas.  

Vale lembrar que, quando o assunto é sentimento, cada pessoa é única e, embora as características de cada fase do luto sejam comuns à maioria das pessoas, cada ser humano sente e reage de forma singular. Além disso, o processo de luto não ocorre apenas em caso de falecimento, mas também no rompimento de relacionamentos, transições e grandes mudanças.  

Saiba como identificar cada fase do luto: 

Negação  

A negação é, comumente, o primeiro momento do luto. Aqui, a pessoa enlutada pode tentar camuflar a dor e o sofrimento pela perda de uma pessoa amada, ou desacreditar do falecimento, nutrindo a ideia de que a pessoa voltará. A negação pode acontecer também quando a pessoa se nega a aceitar o fim de uma relação, ou os riscos que uma doença grave pode trazer à vida.  

Raiva  

Neste momento, os mecanismos de defesa entram em ação para a proteção da pessoa enlutada. A raiva vem quando a pessoa se choca com a fatalidade do mundo real, que conflita com suas idealizações de viver sempre em harmonia ao lado de quem ama. Durante a fase de raiva, a pessoa pode se sentir abandonada ou injustiçada, e acaba direcionando sua revolta para pessoas, espiritualidade ou outros campos da vida. É por isso que a fase da raiva exige uma atenção especial, para que a pessoa não se predique ou prejudique outros nesse momento tão delicado. Após a raiva, é comum que a mente busque a compreensão de que não há como controlar situações como perdas e rompimentos.  

Barganha  

A fase da barganha consiste em uma tentativa de negociação para tentar reaver o que foi perdido. Essa fase pode estar diluída e ocorrer ao mesmo tempo que outras fases do processo. Ao se sentir culpada, a mente da pessoa busca recorrer ao que pode ou poderia ter sido feito para evitar a perda. O problema nessa fase é que a pessoa pode se perder buscando soluções para uma situação que já não pode ser revertida. O caminho é buscar direcionar forças para atividades que proporcionem uma vida melhor, que possam trazer mais alegria e longevidade, uma vez que não há o que fazer sobre a perda que já aconteceu.  

Depressão  

Embora todo o processo seja doloroso e complexo, a fase da depressão pode ser considerada a mais preocupante, uma vez que é neste estágio que a tristeza assola o coração da pessoa enlutada. Aqui, é muito importante ter uma rede apoio forte, familiares e amigos que sejam amparo e acolhimento nas horas mais desesperadas.  

Mesmo que seja muito duro passar por esta fase, ela é completamente normal, afinal a tristeza de perder um ente querido é uma resposta natural. Além da rede de apoio, é importante buscar também ajuda profissional para encarar esse momento.  

Aceitação

É aqui que a compreensão de que a morte e a perda estão fora do controle humano acontece. Assim, a pessoa é capaz de reorganizar sua vida e, finalmente, permitir que a dor e o sofrimento deem lugar às lembranças de momentos bons vividos junto à pessoa que partiu.  

 A aceitação é o momento de respirar fundo, pensar com amor na pessoa amada que se foi e traçar os próximos passos da vida que continua.  

Como começar a superar? 

Como o luto é um processo muito singular e pessoal, todas essas fases podem se misturar e ocorrer de diversas maneiras diferentes, o que significa que os caminhos para a superação também são diversos para cada pessoa. Apenas a dor da partida e a necessidade de encontrar formas de lidar com ela e superá-la são comuns a todos.  

Nesse momento, é fundamental ter alguém que saiba escutar e direcionar o enfrentamento da triste da separação. É nesse sentido que a ajuda profissional de um psicólogo ameniza e contribui com a vivência das etapas após falecimento. 

O Plano Prever disponibiliza sessões de atendimento psicológico gratuito para associados após a perda de um ente querido. Caso precise de ajuda ao longo do processo de luto, faça o agendamento pela central de atendimento pelo número 0800 006 6688.