Maringá está entre as 30 melhores cidades do país para investimentos imobiliários

18 de dezembro de 2020
Área comum do Positano Residenza, da construtora A. Yoshii, em Maringá / Divulgação

Geração de empregos, crescimento das empresas do setor e novos domicílios por faixa de renda são alguns indicadores que posicionam Maringá entre as melhores cidades para investimentos imobiliários no Brasil.

Desde 2014, o levantamento é realizado anualmente pela empresa de consultoria e inteligência Urban Systems e envolve municípios com mais de cem mil habitantes.

No “Ranking das Melhores Cidades para Fazer Negócios”, o Paraná se destaca como o segundo estado com maior quantidade de cidades na categoria de Construção Civil.

Curitiba ocupa a terceira posição, seguida por Londrina (em 25ª) e Maringá (em 29ª), em um ranking geral de 100 municípios. Os dados são calculados por meio do IQM® – Índice de Qualidade Mercadológica – e se baseiam em indicadores como empregos no setor com média e alta remuneração; crescimento de estabelecimentos comerciais; crescimento das empresas do setor da construção civil; novos domicílios por faixa de renda e crescimento das empresas de serviços.

Geração de empregos pelos investimentos imobiliários

De janeiro a setembro de 2020, a construção civil foi o segmento que mais abriu vagas de trabalho em Maringá no acumulado do ano. Foram mais de 10,2 mil empregos com carteira assinada. Um acréscimo de cerca de 4% em comparação com o final de 2019.

Os dados são do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Paraná (Sinduscon-PR/Noroeste) e chamam atenção porque o cenário positivo se deu em meio à pandemia do novo coronavírus.

Com 55 anos de mercado imobiliário, o Grupo A.Yoshii tem forte participação na recuperação do setor. Somente em 2020, a construtora realizou 575 contratações, das quais 150 foram em Maringá, com a obra do Positano Residenza – empreendimento lançado no mês de março na avenida Guedner.

Em novembro, foi a vez da construtora apresentar o Landscape, edifício que terá vista privilegiada para a Catedral Metropolitana de Maringá.

Para 2021, a perspectiva do Grupo A.Yoshii é gerar 700 novas vagas de emprego em todas as praças de atuação da construtora: Maringá, Londrina, Curitiba e Campinas.

Outro indicador sobre o aquecimento do mercado imobiliário é divulgado pela Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc). A venda de imóveis novos subiu 13,5% em setembro, na comparação com o mesmo período do ano passado. A comercialização de 13.438 unidades em setembro é a maior para um único mês desde maio de 2014, quando foram vendidas 14.116 unidades habitacionais.

Essa não é a primeira vez que Maringá é destaque em estudos de desenvolvimento dos municípios. No primeiro semestre de 2020, a Macroplan divulgou o estudo “Desafios da Gestão Municipal (DGM)” e a Cidade Canção foi apontada como a segunda melhor cidade do Brasil, juntamente com São José do Rio Preto (SP).

A avaliação considera os locais que mais entregaram serviços em quatro áreas essenciais: saúde, educação, segurança e saneamento, e sustentabilidade.

O ranking avalia os 100 maiores municípios do País em termos de população (mais de 273 mil habitantes), que respondem por cerca de metade do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro.