Em 12 meses, transações de compra e venda de imóveis acumulam alta de 7,3% em Maringá

Por: - 29 de outubro de 2019
Casa geminada, nova, à venda na região de Maringá / Divulgação Massaru Imóveis

Dados da Associação dos Registradores de Imóveis do Paraná (Aripar), com consultoria da Fipe, mostram que, no acumulado de doze meses, as transações de compra e venda de imóveis registraram uma alta de 7,3% em Maringá. Os dados analisados se referem até julho de 2019.

No mês de julho, de acordo com a pesquisa, houve uma alta de 3,7% no número de registro de compra e venda de imóveis na comparação com o mês anterior, e queda de 1,2% ante a julho de 2018.

No acumulado do ano, de janeiro a julho de 2019, houve variação positiva de 0,4%. E nos últimos 12 meses, Maringá registrou aumento de 7,3% nas transações de compra e venda de imóveis em comparação com os 12 meses anteriores.

Para o presidente da Associação dos Registradores de Imóveis do Paraná (Aripar), Gabriel do Amaral, os dados apresentados no relatório apontam para um crescimento do mercado imobiliário de Maringá sobre bons fundamentos.

“Acredito ser digno de nota a manutenção de níveis de aquisição de apartamentos, e acrescento que chama a atenção o aumento da aquisição de lojas” entende.

De acordo com a pesquisa, o registro de apartamentos nos últimos 12 meses (junho de 2018 a junho de 2019) demonstrou uma pequena queda de 1,1%, em relação ao ano anterior, chegando a 29,3% do total de registros deste tipo de imóvel em 2019.

Já a aquisição de lojas, se comparado com 2018, teve uma leve alta de 0,1%, chegando a 1,2%, quando há o comparativo com os últimos 12 meses.

Porém, “esse tipo de imóvel conta, atualmente, com um índice de registro quatro vezes superior ao de 2017, um importante indicativo das expectativas que as pessoas têm de crescimento da economia local”, salientou Amaral.

Ainda de acordo com o estudo, em 2017, o registro de lojas foi de apenas 0,3%, do total de dados divulgados.

Conforme explica o oficial do 1º Registro de Imóveis de Maringá (PR), Fernando Matsuzawa, “esse cenário de alta cria boas perspectivas aos players do mercado imobiliário e maior segurança em seus investimentos uma vez que o ciclo virtuoso é comprovado por dados confiáveis fornecidos pelos Cartórios de Registro de Imóveis” enfatiza.

Para o registrador a sinalização de alta do mercado estimula as aquisições de terrenos, construções, loteamentos e incorporações, o que promove o aumento na procura de imóveis.

“Sem especular tanto o futuro, já temos elementos concretos com os quais podemos contar para trabalhar neste cenário positivo, como a baixa inflação de 3,43% (últimos 12 meses, dados do mês de setembro passado), queda da taxa Selic com perspectivas de novas reduções pelo Banco Central, tendo inclusive quem defenda Selic abaixo de 5%, aumento do crédito imobiliário e queda dos juros dos financiamentos”, analisa.

Acesse aqui os dados da pesquisa anterior, até maio de 2019, divulgada pela Aripar.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.