Duas startups de Maringá chegam à fase final do Capital Empreendedor do Sebrae. De 800 participantes, ficaram 30

Por: - 28 de outubro de 2019
A W3lcome oferece uma solução que automatiza a recepção de visitantes e de encomendas de uma empresa / Divulgação

O Capital Empreendedor é uma iniciativa do Sebrae que tem o objetivo de preparar empreendedores de pequenos negócios inovadores para o processo de negociação com investidores, por meio de workshops e mentorias que os habilitarão a entender a lógica e os processos do mercado de investimentos de risco.

Neste ano, mais 800 startups foram inscritas no programa e entre as empresas que chegaram à reta final do Capital Empreendedor, estão a W3LCOME, que trabalha com o autoatendimento para recepções de grandes empresas e prédios, e a Valuu, plataforma de benefícios whitelabe, que tem como principais clientes a Sicredi, Unicesumar, Sicoob, Unimed Maringá e OAB.

As duas startups foram aceleradas pela Evoa, a primeira aceleradora sem fins lucrativos do país, que tem como missão fornecer preparação, apoio e desenvolvimento de empresas com potencial de crescimento exponencial.

A iniciativa do programa Capital Empreendedor do Sebrae possui cinco fases. Chamada de Sensibilização, a primeira fase teve como público-alvo o ecossistema de inovação local, pequenos negócios inovadores dos estados e startups atendidas em programas do Sebrae.

A segunda etapa foi a “Semana do Capital Empreendedor”, uma capacitação com duração de três dias, na qual analistas e gestores do Sebrae receberam orientação sobre temas relativos ao capital de risco e se aproximam do ecossistema de investimentos.

Na fase três foi realizado o “Workshop de Empreendedores”, no qual os empreendedores classificados para o projeto conheceram os principais mecanismos de funcionamento e critérios de decisão de um investidor de risco.

A penúltima fase do projeto foi a mentoria, dividida em duas vertentes: de negócios, que consiste no acompanhamento dos empreendedores no desenvolvimento de ferramentas e métricas essências para o amadurecimento de seus empreendimentos, e comportamental, que tem por objetivo transformar o mindset dos empreendedores, abordando três pilares, sendo eles relacionamento, liderança e capacidade de execução.

Em cada uma das etapas eram realizadas eliminações por análise de resultados. De modo que, de 800 startups iniciais, apenas 30 chegaram à quinta fase.

A quinta e última fase é o Circuito de Investimento, com uma agenda de dois dias. No primeiro dia, todos os empreendedores classificados na mentoria e os gestores que conduziram o projeto nos estados participam de uma visita ao ecossistema de Inovação em São Paulo.

No segundo dia é realizado o encontro com investidores convidados. Este é um momento de networking com o propósito de aproximar empreendedores e investidores e a geração de negócios entre as startups.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.