Cooperativa Paranaense de Avestruz entra em liquidação judicial e empresário de Maringá, das lojas Strut, faz oferta para compra de patrimônio

Por: - 28 de novembro de 2018

Em processo de liquidação judicial, os 84 cooperados da Cooperativa Paranaense de Avestruz (Copatruz), com sede às margens da BR-376, em Presidente Castelo Branco, foram convocados para assembleia geral para analisar a proposta de compra da propriedade de 7,18 hectares, feita pelo associado Charles Fernando Nocchi Piveta Assunção.

Charles Piveta, como é conhecido o empresário proprietário das lojas Strut, de Maringá, ofertou R$ 1,5 milhão a ser pago no dia 28 de fevereiro de 2019 e mais 12 parcelas mensais de R$ 1 mil. O compromisso de compra e venda será discutido na assembleia que será realizada no próximo dia 8, um sábado. A primeira convocação está agendada para às 12 horas.

O quórum mínimo para a primeira convocação é de 2/3 dos cooperados. Para a segunda convocação, às 13 horas, o quórum  cai para 43 cooperados – a metade mais um. Já na terceira convocação, bastam dez associados à Copatruz para deliberação, conforme estabelece o edital de convocação publicado nesta quarta-feira (28/11) pelo liquidante Antonio Boldori.

A criação de avestruz foi iniciada no Brasil na metade da década de 1990 e atraiu criadores que vislumbraram a possibilidade de obter bons lucros, com o comércio de carne e couro da ave, que são muito valorizados. As plumas e as cascas de ovos também são fontes de renda, por serem utilizados como elementos decorativos. No entanto, poucos sobreviveram.

A Copatruz foi criada em 2002, por um grupo de 30 cooperados. No início de 2007, chegou a integrar um projeto com outras cooperativas da região para implantar um abatedouro de ovinos, suínos, peixe e avestruz, que seria construído em Mandaguaçu e que deveria entrar em operação em um ano e meio depois, mas não vingou.

O avestruz pode atingir 2,80 metros de altura e as principais raças criadas no Brasil são a Black Neck, obtida por meio de seleção genética, e a Blue Neck e a Red Neck, sendo essas mais agressivas. A idade indicada para abate é 13 meses e o peso 120 quilos. O rendimento de carcaça é de 50% e o couro de uma ave deste porte tem cerca de 1,2 m².

Os telefones da Copatruz, inclusive o constante no edital de convocação da assembleia, estão inativos e a reportagem não conseguiu contato com o liquidante Antonio Boldori. Já o empresário maringaense que fez a proposta, Charles Piveta, procurado nesta quarta-feira (28/11), preferiu não conceder entrevista sobre a cooperativa.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.