Emcompre vai ser apresentado como case de sucesso no maior evento de comércio eletrônico da América Latina. Crescimento nas vendas superou 1.600% em cinco anos

Por: - 14 de agosto de 2018

A Emcompre, empresa maringaense de comércio eletrônico do segmento de cama, mesa e banho, vai apresentar nesta quarta-feira (15/8) seu case de sucesso no Fórum E-commerce Brasil, terceiro maior evento de e-commerce do mundo e o maior do setor na América Latina.

A empresa maringaense registrou um aumento superior a 1.600% nas vendas em cinco anos. O crescimento é parte de um modelo de negócios que permitiu a venda dos produtos da Emcompre nas principais plataformas de marketplace do Brasil como americanas.com, Magazine Luiza, Casas Bahia, Dafiti, Walmart e Mercado Livre.

Com esta estratégia, a Emcompre conseguiu ampliar as 300 vendas mensais de 2014 para mais de 5.000 em 2018. O crescimento tornou a empresa maringaense um dos principais exemplos de sucesso do mercado de e-commerce regional com vendas em escala nacional.

A head de E-commerce e Marketplace do Emcompre, Vanessa Ferraz, lembra que a estratégia foi adotada em meio a um período de crise no setor atacadista. “Em 2013, a empresa Bandfashion buscava alternativas de crescimento e iniciamos uma pequena operação de e-commerce”, conta.

Eles passaram a oferecer centenas de produtos de moda, colchonetes, cama, mesa e banho de fabricação própria e de terceiros, mas num mercado dominado por grandes portais de comércio eletrônico, seria muito difícil conseguir espaço.

“Quando integramos nosso estoque aos marketplaces de marcas famosas, nossas vendas decolaram, pois ganhamos credibilidade e a visibilidade aos nossos produtos, o que seria praticamente impossível de atingirmos sozinhos”, afirma.

O crescimento chamou a atenção das grandes marcas e hoje a Emcompre ocupa lugar de destaque em seu segmento nos principais portais do País.

Neste modelo de parceria, os grandes portais de vendas listam os produtos do parceiro em seu site. Com maior potencial de mídia e canais de venda, há um aumento no número de produtos ofertados.

A vantagem para as grandes redes de e-commerce é que não precisam dispor de capital de giro para a compra e manutenção das mercadorias das empresas parceiras.

Quando ocorre a venda, o grande portal de e-commerce recebe uma comissão sobre a negociação, que varia de 8% a 30%, dependendo do segmento do produto, que é enviado diretamente para o consumidor final.

O modelo de marketplace foi criado pela Amazon nos Estados Unidos no início da década e vem crescendo rapidamente em todo o mundo. Este modelo de negócio representa quase 50% do faturamento do grupo B2W, dono das marcas americanas.com, submarino e shoptime.

Em Maringá, há um ano foi criado o Núcleo Setorial de E-commerce, com a participação de 55 empresas. Vários empresários vão participar em São Paulo do Fórum E-commerce Brasil. O objetivo da união dessas empresas na cidade é fortalecer o segmento de comércio eletrônico na região. Em julho, o núcleo organizou a segunda edição do E-commerce Now, maior evento de comércio eletrônico do Paraná.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.