Startup de Maringá FarmGO vai apresentar uso de drones, redes de satélites e inteligência artificial na agricultura em evento na China

28 de junho de 2018

A startup de Maringá FarmGO vai participar de um dos maiores eventos de tecnologia e inovação a Ásia. A empresa vai apresentar uma plataforma de agricultura digital que usa tecnologias exponenciais como drones, redes de satélites e inteligência artificial.

A Rise Conference vai ser realizada em Hong Kong, entre os dias 9 e 12 de julho, e vai reunir mais de 15 mil participantes, entre eles, Microsoft, Amazon, Mercedes-Benz, HSBC, entre muitas outras.

O empresário maringaense Ricardo Matiello vai ser o responsável por mostrar a evolução que o Brasil conseguiu alcançar em Agricultura 4.0. O objetivo principal é atrair investimentos para o mercado brasileiro de tecnologia no campo.

“A China está buscando alternativas para suprir sua forte demanda por alimentos, que irá se potencializar ainda mais nas próximas décadas”, diz Matiello.

Para o Ceo da FarmGO, a participação em um evento como a RISE Conference é uma oportunidade única de compartilhar com o mundo como a tecnologia brasileira em Agricultura Digital.

A FarmGO trabalha para tornar as operações no campo mais eficientes com o uso de tecnologias exponenciais como drones, redes de satélites e inteligência artificial.

O grande benefício da agricultura digital é a possibilidade de aumentar a produtividade e a rentabilidade no campo. O evento é considerado uma excelente oportunidade para estabelecer novas conexões e possibilidades de negócios internacionais. O Brasil é reconhecido mundialmente no agronegócio e a China tem investido muito nestes setor.

De acordo com Matiello, que também atua como vice-presidente da Software by Maringá, entidade que reúne mais de 100 empresas de TI, startups e profissionais autônomos, o fomento ao setor de TI na região, possibilita que cada vez mais empresas locais estejam prontas para o mercado internacional.

“Mostraremos ao mercado mundial como o Brasil está se preparando para assumir sua posição de liderança global no agronegócio, tanto em produtividade como em tecnologia”, afirmou.