Laboratório de Ideação e Design Thinking será instalado em julho em Maringá, para desenvolver ideias até que se tornem um negócio em potencial

15 de maio de 2018
Em abril, entidades responsáveis pelo projeto assinaram memorando de cooperação técnica (Imagem/Eder Spirandeli)

Em julho, Maringá terá o Laboratório de Ideação e Design Thinking, voltado para o fomento da inovação na cidade. Instalado na Pontifícia Universidade Católica (PUC-PR), o laboratório vai oferecer condições para o desenvolvimento de novos negócios que tenham como base a inovação.

Espaços como esse são comuns na Europa e Estados Unidos. Maringá já tem suportes que auxiliam no desenvolvimento dos negócios em etapas como prototipação, encubação, aceleração e pós-aceleração, exceto imersão e ideação. Com o laboratório, essas novas etapas completando a cadeia de valor da inovação na cidade.

Segundo o consultor do Sebrae, Marcos Aurélio, qualquer pessoa com uma iniciativa poderá participar. O laboratório será aberto para alunos de outras universidades, executivos, aposentados e profissionais liberais exporem ideias e apresentarem soluções de problemas contemporâneos.

Os empreendedores contarão com apoio de mentores, professores e profissionais que vão auxiliar desde lapidação da ideia inicial, até que se torne um negócio em potencial.

Laboratório pode criar soluções para problemas locais

Temas como mobilidade, saúde, educação, negócios e direito são alguns dos assuntos que poderão ser estudados e analisados dentro do laboratório. O consultor do Sebrae avalia que o projeto traz impactos futuros para o cenário econômico da cidade.

“São ideias que poderão gerar negócios, solucionar desafios de mobilidade, reduzir tempo e custos com acidentes de trânsito são alguns dos exemplos que farão a Maringá do futuro com qualidade de vida de maneira sustentável, humana e inteligente”, afirma.

O laboratório é uma parceria entre a PUC-PR, Sicoob Metropolitano, Associação Comercial e Empresarial de Maringá (Acim) e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-Pr).

O Sicoob será responsável pela reforma do local e a PUC ficará com a coordenação e gestão do ambiente. O Sebrae coordena o grupo que fará a elaboração de metodologia de trabalho do local e as reuniões entre as associações participantes.

Para Marcos Aurélio, os resultados “são inimagináveis neste momento”, já que os reflexos do projeto só poderão ser sentidos no futuro.

“Ao meu entender, a sociedade maringaense e seu histórico de trabalhos associativos, a região terá muito a ganhar com essas equipes multidisciplinares que irão pensar e conceber ideias para resolução dos desafios da vida contemporânea”, diz.