Travesti vai fazer história em Maringá como a primeira mestre a se formar na UEM

Por: - 20 de março de 2019

A travesti Lua Lamberti de Abreu vai entrar para a história da Universidade Estadual de Maringá (UEM) e da cidade. Ela vai ser a primeira travesti a concluir um curso de mestrado na instituição. A defesa da dissertação vai ser realizada na sexta-feira (22/3).

O trabalho de Lua Lamberti discute o apagamento e a inacessibilidade de pessoas trans nos territórios formais da educação. Sob orientação da professora Eliane Maio e co-orientação da professora Roberta Stubs Parpinelli, ela vai defender o trabalho intitulado Pe-Drag-Ogia como modo de Tensionar/Inventar Territórios Educacionais Heterotópicos.

Lua Lamberti usa o recurso metodológico da autoficção, em que produz um diálogo entre ela, a autora, com a sua persona Drag.

Dentro deste contexto, ela desloca as noções de edução por um eixo ético-estético-político de ser e estar no mundo e pensa na construção de territórios educacionais mais receptivos e potentes para pessoas que não são bem-vindas aos meios hegemônicos.

Em 2018, Lua Lamberti proferiu palestras a funcionários da Biblioteca Central da UEM sobre “O uso do nome social: um direito a ser respeitado” e “Os corpos trans nos espaços públicos: garantias à diversidade”.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.