Como o estilo streetwear remodelou o mundo a partir dos Estados Unidos

Por: - 22 de junho de 2020
O estilo streetwear contrasta com o mundo notoriamente branco da alta moda / Benedikt Geyer / Unsplash

A marca norte-americana Supreme é uma das principais referências quando o assunto é a moda americana de streetwear. O estilo, criado originalmente nas ruas dos Estados Unidos, está remodelando a forma de se vestir em diversos países do mundo, inclusive em marcas de luxo. 

O streetwear é associado ao hip-hop, como sendo o uniforme de rappers distintos e de épocas diferentes, como Grandmaster Flash e Kendrick Lamar. 

Até agora, o streetwear continua sendo algo relevante em um nicho de interesse. Mas está sendo apropriado pela alta moda.Tênis, moletons, camisetas estampadas, calças de agasalho foram vistos nos últimos 10 anos em marcas como Givenchy, Vetements e Raf Simons, mas o visual realmente se tornou popular em janeiro, quando a Louis Vuitton colaborou com a Supreme . 

O primeiro modelo da passarela usava uma bolsa vermelha brilhante com o logotipo da Supreme em tamanho grande. Outros seguiram usando um padrão que combinava a tela do monograma da Louis Vuitton com o logotipo da Supreme. 

Antigamenta, seria impossível imaginar que uma marca de streetwear de 23 anos, criada por um skatista, estaria um dia na pista para a marca parisiense mais valiosa do mundo, que foi fundada como uma etiqueta de bagagem em 1854 e foi avaliada em 22,5 bilhões de libras em 2016.

Embora os preços sejam muito mais baixos do que a Louis Vuitton, a perspicácia comercial de uma marca jovem como a Supreme não teria passado despercebida pelos poderes existentes. Streetwear é um grande negócio.

A colaboração Louis Vuitton x Supreme levou a rumores infundados de que a LVMH, o conglomerado proprietário da Louis Vuitton, havia comprado a Supreme por 411 milhões de libras. 

Há, também, uma discussão sobre apropriação cultural. O estilo streetwear contrasta com o mundo notoriamente branco da alta moda. Então, pode-se argumentar que as marcas das passarelas que trazem o streetwear para a alta moda são uma forma de apropriação cultural? 

Rachel Lifter, professora de moda na Parsons Art and Design School, em Nova York, diz que isso provoca perguntas. “Como prática de design, o streetwear segue as dicas do estilo hip-hop”, diz ela. Esse estilo, diz ela, “surgiu da experiência vivida de jovens negros e latinos, que estavam passando por várias formas de subordinação racial e de classe: esses projetos [de alta moda] operam em um nível representacional. Ele tem o estilo preto, mas não necessariamente vivem isso”, disse.

Apropriando ou não, a alta costura não ignora mais o streetwear. A utilização dos signos criados na rua por marcas conhecidas mundialmente virou uma realidade lucrativa e que se expandiu pelo mundo. 

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.