Bailarina de 12 anos de Maringá é a criança brasileira mais jovem aceita na Miami City Ballet School

Por: - 26 de julho de 2019
Com apenas 12 anos, Luiza Russo, é a criança brasileira mais jovem aceita na escola Miami City Ballet School / Arquivo Pessoal

Luiza Russo, de 12 anos, aluna da escola Alma Bailarina, de Maringá, é a criança brasileira mais jovem aceita na escola Miami City Ballet School, uma das mais conceituadas escolas de ballet dos Estados Unidos.

Ela recebeu a notícia no dia 18 de julho e já se mudou para Miami, no extremo sudeste da Flórida, junto com os pais Christopher e Rosângela Russo, e o irmão caçula John, de 11 anos. As aulas de ballet começam em setembro. 

Filha de pai norte-americano e mãe brasileira, Luiza Russo nasceu em Miami, mas a família se mudou para Maringá em 2008, quando ela tinha dois anos, idade que iniciou as aulas de ballet. Nos últimos três anos, as aulas foram com a professora e diretora da escola Alma Bailarina, Beatriz Galles. 

Há cerca de três anos, Luiza Russo faz aulas de ballet na Alma Bailarina, com a professora e diretora Beatriz Galles / Arquivo Pessoal

No ano passado, durante uma visita de Alice Arja, que é caça-talentos e diretora da Cia do Ballet, do Rio de Janeiro, Luiza foi selecionada para participar de um curso de duas semanas chamado South American Program, da Miami City Ballet School.

Na ocasião, ela participou de uma audição para estudar na escola durante um ano, junto com outras dezenas de crianças da América do Sul, mas não foi aceita. Apenas uma bailarina da Argentina conseguiu a bolsa.

“Desde pequena, com apenas dois anos, ela sempre amou o ballet, mas foi no ano passado, quando ela fez o primeiro curso em Miami, que acabou despertando essa vontade de levar mais para o lado profissional”, conta a mãe.

Neste ano, determinada a tentar de novo, Luiza Russo fez um treinamento intensivo durante seis meses. Seis dias na semana, lá estava ela com a professora Bia, na Alma Bailarina. Neste período, ela treinou ballet durante seis horas diárias, além de fazer aulas de pilates e teatro.

Novamente, ela foi para Miami para participar do South American Program, junto com mais dez meninas e um menino de Maringá. Crianças de outras localidades também participaram da audição, mas desta vez, apenas Luiza foi selecionada para estudar durante um ano na Miami City Ballet School.

“O Miami City Ballet só oferece vagas para crianças acima de 14 anos, mas acho que gostaram bastante da Luiza e aceitaram ficar com ela. Estamos muito felizes e orgulhosos. Ela é uma criança muito dedicada, focada, determinada e tem bastante aptidão para o ballet, e o que for possível fazer para ela ser uma bailarina, nós vamos fazer”, diz Rosângela. 

E já estão fazendo. A família, que é dona do próprio negócio, se adaptou à nova realidade da filha e mudou-se para Miami sem pensar duas vezes. Agora, Luiza Russo vai para a escola comum no período da manhã, e vai treinar ballet durante a tarde, no nível cinco da Miami City Ballet School. 

“Esse é o começo de um sonho. Daqui para frente a gente sabe que não vai ser fácil, serão muitos desafios e sacrifícios. Quando você aplaude uma bailarina, não aplaude os cinco minutos de dança, você aplaude a vida dela, que é bem puxada”, acrescenta a mãe.

Na visão de Luiza, a experiência vai ser um grande desafio. “É uma responsabilidade muito grande. As crianças da Miami City Ballet School têm muita técnica e treinam seis dias por semana, em média três horas. A escola é umas das melhores daqui, e todos os bailarinos formados trabalham em grandes companhias. Estou realizando um sonho que, com certeza não seria possível sem o incentivo, apoio e treinamento da minha professora Beatriz Galles”, conta a jovem bailarina.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.