Tilápias e cascudos vão ser retirados do lago do Parque do Japão. Só vão ficar as carpas

Por: - 26 de fevereiro de 2019

A Diretoria do Parque do Japão vai realizar o manejo de espécies de peixes consideradas invasoras no lago. Um grupo de voluntários já iniciou a retirada de tilápias e cascudos que viviam no lago. Para os próximos dias, alevinos de carpas que passaram por melhoramento genético vão ser introduzidos no espaço.

O manejo, segundo a direção do Parque do Japão, busca manter o equilíbrio ambiental do lago. O gerente do parque, Luiz Uema, diz não saber ao certo como as espécies invadiram o ambiente, mas destaca que visitantes podem ter destinados peixes de aquários.

“Essas espécies consomem ovas das carpas. que são uma de nossas principais atrações, o que dificulta a reprodução dos peixes”, afirma. Ele contou que até cágados e jabutis foram encontrados no local.

No final de 2017, a equipe do Departamento de Zootecnia da UEM retirou 20 carpas do lago, com pureza de raça e uniformidade de cor. Para não ocorrer riscos com a reprodução de animais aparentados, realizou-se antes a análise de material genético. Os alevinos que serão reintroduzidos neste ano, são resultados dessa reprodução.

Além de perder as características ornamentais, o cruzamento indiscriminado de carpas pode trazer defeitos morfológicos e reduzir a capacidade adaptativa. O melhoramento genético evita que o lago fique sem as espécies originais e sua beleza natural, além de casos de boca torta e outros defeitos que comprometem a expectativa de vida dos animais.

Em 2008, o lago do Parque do Japão recebeu 70 carpas coloridas, incluindo branca e azuis, doadas por um banco que havia recebido os peixes da Casa Imperial do Japão. A espécie convive com curimbas que consomem o material orgânico em decomposição no lago.

A diretora do Parque do Japão, Maria Lígia Guedes, lembra que recentemente o lago passou por limpeza, para manter um PH ideal e preservar a fauna aquática. Ela pede a cooperação da comunidade para zelar pelo local.

“Contamos com a colaboração dos visitantes para não alimentar os peixes com alimentos condimentados como salgadinhos e biscoitos”, afirma. As carpas do Parque do Japão são alimentadas diariamente com ração. O parque funciona de terça a domingo das 8 horas às 19 horas e tem entrada gratuita.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.