Instituto Cultural Ingá fecha 2018 com a captação de R$ 1,5 milhão para projetos culturais por meio da Lei Rouanet

21 de janeiro de 2019
Cena do espetáculo da Paixão de Cristo de 2016 / sanepar.com.br

O Instituto Cultural Ingá (ICI) conseguiu captar R$ 1,5 milhão em recursos para projetos culturais por meio da Lei Federal nº 8.313/1991, a Lei Rouanet, que possibilita o abatimento de 4% do Imposto de Renda devido pelas empresas tributadas no regime de lucro real.

O valor ficou um pouco abaixo do registrado em 2017, quando a entidade captou R$ 1,8 milhão com a colaboração dos mais de 30 parceiros.

“Como no ano passado tivemos as eleições, a economia tende a ser afetada pelo clima de instabilidade econômica. É quando muitas empresas, acionistas e investidores tomam medidas com base em estatísticas e probabilidades, o que diretamente afeta o lucro e, consequentemente, o repasse de verba às ações culturais”, explica Alan Gaitarosso, consultor sênior do ICI, sobre a diferença de valores com relação a 2017.

O consultor afirma que, mesmo diante ao cenário instável, o ICI manteve a média dos três últimos anos em captação. “Em 2016, o Instituto angariou pouco mais de R$ 1,1 milhão para os projetos culturais de Maringá”.

Entre os projetos apoiados, o ICI conseguiu captar recursos importantes para a viabilização do Auto de Natal. O projeto teve como tema “O primeiro Natal” e contou a história dos passos de Maria e José até a chegada do menino Jesus por meio de diálogos entre crianças, que se divertiram com um palhaço. Para este projeto, diante o total de R$ 241 mil para sua execução, o ICI foi responsável pela captação de R$ 216 mil.

Outro projeto coordenado pela Associação Cultural Lirius e que conta com a parceria do ICI é a Paixão de Cristo. Dos R$ 561 mil investidos na execução do projeto em 2018, pouco mais de R$ 220 mil foram captados mediante atuação da entidade.

“A parceria com a Lirius é de extrema importância para nós, não só pela grandiosidade dos projetos, mas pelo impacto cultural que ambos provocam nos espectadores e, acima de tudo, de forma gratuita”, diz Gaitarosso.

O Som da Banda, criado em 2003, também passou a contar com o fomento do ICI nos últimos anos. O projeto trabalha a disciplina e o relacionamento em grupo, que servem para que os alunos passem a conviver melhor em sociedade.

“Temos como missão promover a educação musical e a formação artística de jovens, crianças e adolescentes para o exercício da cidadania”, explica Graziani Moraes, regente e coordenador do Som da Banda, que oferece aulas de sopros e percussão, corpo coreográfico, baliza, coral e teatro,

Só em Cena, O Songbook do Folclore do Paraná, Maringá no topo do Podium, Escala Cultural, Terapia da Alegria, Mãos a Obra, Circo Social, Criança em Cena, A história do Observatório Social de Maringá, A Secreta Obscenidade de Cada Dia e o Docudrama: Maringá – a cidade empreendedora que nasceu de uma canção, também estão na lista de projetos apoiados ao longo de 2018 pelo Instituto Cultural Ingá.