Piloto maringaense se consagra como promessa brasileira no automobilismo. Felipe Drugovich venceu a Fórmula 3 na Europa com quatro rodadas de antecedência

Por: - 12 de novembro de 2018
O maringaense Felipe Drugovich é promessa brasileira para o automobilismo e sonha chegar à Fórmula 1.

Aos 18 anos, o piloto maringaense Felipe Drugovich é considerado a promessa do automobilismo brasileiro. Os resultados do ano de 2018 foram importantes. Ele venceu a Eurofórmula F3 Open com quatro rodadas de antecedência e ainda levou a MRF Challenge 2017/2018 com 10 vitórias.

Pela Fórmula 3 foram 16 corridas e 14 vitórias. Em todas as rodadas esteve no pódio: como campeão ou no máximo em segundo lugar.

Na F3, ele também fez nove pole positions e dez recordes de volta em provas. A conquista antecipada foi no circuito de Monza, na Itália. O jovem corre pela equipe italiana RP Motorsport. O vice-campeonato ficou para o holandês Bent Viscaal, enquanto o terceiro lugar ficou para um argentino, Marcos Siebert.

Quem olha a pouca idade do garoto não imagina que ele já tem dez anos de experiência em corridas. Felipe é de família ligada ao automobilismo e começou cedo, aos oito anos. “Comecei em 2008 com os karts. Meus tios sempre foram muito envolvidos com o automobilismo e me pediram para testar um carro. Lógico que gostei muito. No ano seguinte, já comecei a competir”, lembra o piloto.

Os tios a que Felipe se refere são Cláudio Drugovich, que criou a equipe Drugovich Motorsports e competiu nas Fórmulas Ford e Truck, e Osvaldo Drugovich Junior, que foi campeão da Truck em 1997 e bicampeão em 1998. Em Maringá, a família é conhecida pela loja de peças para caminhões e ônibus que leva o sobrenome famoso e existe desde 1964.

Com o incentivo da família, Felipe foi em frente. Em 2011 conquistou o Campeonato Brasileiro de Kart. Em 2013, começou a correr na Europa na mesma categoria e, no ano seguinte, se mudou de vez para o velho continente. Correu em kart até o fim de 2015 e em 2016 encarou a Fórmula 4 alemã. Dali foi um pulo para a Fórmula 3, onde neste ano o rapaz brilhou.

O jovem Drugovich já é considerado pelos fãs do automobilismo uma grande promessa brasileira. Como atualmente a Fórmula 1 não tem pilotos brasileiros, muito tem se falado sobre os novos pilotos que têm chance de chegar lá. Nesse contexto é que Felipe foi eleito com quase 30 mil votos como a grande promessa do Brasil para a F1 em uma enquete realizada pela Red Bull na internet.

O caminho para a Fórmula 1 está sendo bem pavimentado pelo piloto. Ele conta que abre mão de uma vida comum de adolescente para se dedicar aos treinos. Sobre as conquistas recentes, diz que é o trabalho e a dedicação que têm feito a diferença. “É um conjunto de várias coisas. Estou sempre tentando melhorar dentro e fora da pista, me desenvolver em todas as áreas e qualquer pequeno avanço é vantagem”, acredita.

Sobre os treinos, ele relembra os tempos de kart, quando podia correr sempre antes das corridas. Com carros de fórmula os treinos são mais restritos, pois são feitos somente antes ou depois do campeonatos. A maior parte do trabalho do dia a dia é feita na academia ou em simuladores.

Sobre o futuro, ele não nega querer chegar à Fórmula 1. “É o objetivo de todo mundo”, diz. Para ele, a estratégia para alcançar a mais alta categoria do automobilismo é manter as expectativas sob controle enquanto busca ser o melhor piloto possível. “Tento melhorar a cada momento e não pensar muito nos outros. Por enquanto, quero melhorar minha performance para estar preparado quando a hora chegar”, conclui.

Drugovich e sua equipe na conquista da Fórmula 3. Foto: Instagram

 

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.