Nutricionista e life coach Bella Falconi vem a Maringá no Catuaí Trends. Veja a entrevista que a musa fitness concedeu ao Maringá Post

Por: - 19 de maio de 2018

A insatisfação com o corpo e a autoestima, colesterol alto e cinco pedras nos rins fizeram Bella Falconi mudar o estilo de vida. Sorte do público. A mudança de hábito a tornou uma musa fitness com 3,3 milhões de seguidores no Instagram.

Em entrevista ao Maringá Post, Bella Falconi fala sobre a mudança, a força de vontade e adianta um pouco da história que vai contar em Maringá. Na sexta-feira (25/5), ela participa do Catuaí Trends Seasons, edição de inverno do projeto que leva experiência e tendências de moda para as quatro estações do ano.

A musa fitness é life coach certificada e especialista em nutrição. Em Maringá, dará dicas sobre como buscar o equilíbrio em meio à rotina agitada, como se alimentar melhor e manter uma rotina de exercícios físicos até mesmo durante a gestação. Ela está grávida do segundo filho.

Nessa edição, o evento mostra a crescente busca por um estilo de vida mais saudável e o reflexo destas atitudes no guarda-roupa. A moda vem com uma pegada mais esportiva, que alia estilo, conforto e praticidade.

A tendência coincide com o desejo da mulher contemporânea por peças mais versáteis e funcionais, que a ajudem a otimizar a rotina.

Além de Bella Falconi, o evento apresentado pelos Produtos Magro, vai contar com desfile de looks fitness e casuais com atletas do Clube FV na passarela e comentários da treinadora Fernanda Vargas e também da empresária, influencer e triatleta Andrea Tribulato.

A consultora em estilo Michelle Valêncio é outra convidada. Elas vão dar dicas de moda e falar da funcionalidade das peças na prática de exercícios.

Programação Catuaí Trends Seasons – Inverno 2018

  • Data: 25/5
  • Horário: 19h30
  • O que: Desfile comentado por Fernanda Vargas, Andrea Tribulato e Michelle Valêncio
  • Palestra: “Vida Saudável”, com Bella Falconi
  • Para quem: aberto ao público e gratuito
  • Onde: Praça de Eventos Catuaí Shopping Maringá

Bella Falconi: “A preguiça é um dos nossos maiores inimigos”

Bella Falconi / Instagram

Se você pudesse mandar um recado para a Bella Falconi antes do surgimento das complicações de saúde, qual seria?

O recado que eu daria é que a vida passa muito rápido e muitas vezes a gente acha que a gente tem tempo de sobra. Mas o tempo que a gente tem passa muito rápido e muitas vezes nós perdemos o controle da nossa vida e, quando caímos em si já é tarde demais. O quanto antes a gente puder começar, melhor. Inclusive, pensar em uma nutrição preventiva, ou seja, não esperar que aconteça o problema para que atitudes sejam tomadas. É importante não mudar apenas pela estética, mas principalmente por causa da saúde e da longevidade. Se a gente não tem motivação pra fazer algo pela gente mesma, que a gente faça por alguém que nos ame, porque muitas vezes nos falta esse ímpeto.

Qual foi sua principal motivação para dar o “start” na mudança de hábitos?

Meu start foi em resposta a uma reclamação do meu corpo. Foi em um momento que eu percebi que se eu não mudasse realmente o meu estilo de vida, eu pagaria muito caro com minha saúde e minha autoestima. E quando eu falo que o corpo reclamou, me refiro a cinco pedras nos rins, colesterol alto, fadiga, falta de autoestima e entre outras.

Como dar o primeiro passo para combater a preguiça, os maus hábitos alimentares e sair da zona de conforto? 

O primeiro passo é entender que a preguiça é um dos nossos maiores inimigos e que ela é inerente ao ser humano. Todos nós sofremos desse mal, ninguém está isento disso, mas quanto nós tomamos consciência do problema, fica muito mais fácil lutar contra ele. E a alimentação é uma mudança completa, não só de hábitos, mas de mentalidade, porque acho que a mudança maior acontece na nossa mente, quando compreendemos qual o nosso propósito e o porque que a gente está buscando essa mudança. Sair da zona de conforto é necessário por uma questão muito óbvia: tudo o que faz da vida interessante mora fora da nossa zona de conforto. Tudo o que vai nos proporcionar uma grande transformação não está dentro da nossa zona de conforto, vai exigir que a gente quebre a casca do ovo e saia desse lugar onde nos sentimos muito cômodos. Isso requer um processo de dor, de transformação, de entrega, de muita disciplina e força de vontade, mas no final, com certeza, vale muito a pena.

De sedentária e doente para uma apaixonada por exercícios físicos e nutricionista. Como foi que você decidiu começar encorajar as pessoas a transformarem suas vidas e compartilhar sua trajetória em palestras como a que fará em Maringá? 

Isso foi algo que aconteceu muito organicamente. Sempre compartilhei minha alimentação nas redes sociais, mas não era pensando em ganhar seguidores, era apenas para registrar o meu progresso. Acabei conquistando seguidores que se identificaram com minha transformação. Depois comecei a encarar isso como uma missão, como algo muito sério, pois percebi que não era apenas um álbum de fotografias online, mas uma rede social onde há pessoas te acompanhando e que esperam por uma postagem, por uma frase encorajadora e motivadora. Isso com certeza também me motiva a continuar firme, porque obviamente, como qualquer pessoa, tenho as minhas fraquezas, meus momentos de falta de motivação, de preguiça, que eu tenho vontade de jogar tudo pro alto. Mas o carinho que recebo das pessoas me motiva e me faz querer continuar cada vez mais. Levo isso muito a sério e prova disso é que eu fui estudar nutrição muito antes de sonhar em ser nutricionista, porque nunca imaginei em fazer nada que fosse na área da saúde. Continuo os meus estudos, eu não parei por aí, me formei, sou bacharel em nutrição, continuo com o meu mestrado e não pretendo parar. Tudo isso começou realmente como uma forma de respeito às pessoas que me acompanham, para que não compartilhasse com elas nenhuma bobagem.

Como você avalia a força das redes sociais na sua vida? Como você se sente sendo inspiração e referência para milhares de seguidores? 

A rede social tem uma força imensurável na vida das pessoas, muito mais do que a gente imagina, tanto para o lado bom como para o lado ruim. Podemos encontrar pessoas que realmente fazem diferença na vida do próximo, como pessoas que são extremamente tóxicas e que compartilham conteúdos destrutivos e acabam contaminando os espectadores. A gente tem que ter muito discernimento, muito cuidado com aqueles que a gente escolhe para acompanhar nas redes sociais, porque muitas vezes, inconscientemente, a gente acaba sendo intoxicado por conteúdos vazios que roubam  nossa alegria e autoestima. Me sinto muito bem sendo inspiração e referência para milhares de pessoas. Acho que isso é um grande presente que eu ganhei de Deus e da vida. Tenho certeza que Deus me colocou nessa posição por uma razão, e é por isso que eu sempre tento honrá-lo, sempre tento dividir uma palavra de conforto, uma palavra positiva. Tento dividir o meu lado humano para que as pessoas se identifiquem comigo e vejam que nas redes sociais não é aquele glamour todo que as pessoas imaginam. Porque achar que a vida do próximo é perfeita pode ser extremamente destrutivo. Tento expor realmente todos os lados da minha vida, desse prisma que a gente vive, o lado da Bella na maternidade, da Bella esposa, da Bella mulher, da Bella fraca e da Bella forte, da Bella nutricionista e da Bella leiga em alguns aspectos e assim por diante. Ser uma referência para as pessoas é uma responsabilidade. Faço o meu melhor e continuarei fazendo para não decepcionar as pessoas.

Até mesmo Bella Falconi tem seus pontos fracos, não é? Conte de quais exercícios físicos você foge e das “gordices” das quais não abre mão?

Meu ponto fraco com certeza é brigadeiro, sou apaixonada por doce e se eu ver um brigadeiro na minha frente até tremo. Adoro um cheesecake também. Como todo ser humano é difícil controlar essa sensação. Tento equilibrar isso na minha alimentação. Não me alimento mal todos os dias, muito pelo contrário. Sempre sou muito saudável, de 70% a 80% do tempo, mas me permito alguns deslizes aí nesses 20% ou 30%. Sempre tento buscar conhecer o meu próprio corpo, como ele reage. Hoje em dia tenho muito controle, até porque já fiz um exame genético, sei onde é meu ponto fraco, sei onde é meu calcanhar de Aquiles, sei com o que devo tomar cuidado e até onde posso abusar. Acima de tudo é importante termos conhecimento e controle sobre o nosso próprio corpo. Conhecimento, no meu caso, é obrigação, porque sou nutricionista, mas pra quem não é,  sempre sugiro um conhecimento básico de nutrição para que você tenha controle e evite ser manipulado pelo que a gente vê na mídia. Nem sempre o que a gente vê nas redes sociais é verdade.

Bella Falconi / Instagram

Agora, com a experiência de duas gestações, poderia contar quais os benefícios você sente em relação à prática de exercícios físicos antes, durante e depois da gestação?

A gente precisa preparar o nosso corpo para uma gravidez, porque a mudança é muito grande, tanto física, como hormonal e psicológica também. Quanto mais preparada a gente tiver, no nosso peso, na saúde, mais saudável vai ser a gestação, melhor vai ser a genética desse bebê. Na nutrição, a gente fala que a gravidez é uma janela de oportunidade para a criança, para ter uma boa genética, para evitar doenças no futuro, como câncer, síndrome metabólica, diabetes e assim por diante. É muito importante que essa mãe seja saudável durante a gestação e pratique atividades físicas. Se liberadas pelo médico e, obviamente, assistida por um profissional, tudo monitorado. E depois da gestação é importante o exercício para recuperar a saúde, o peso que a gestação acaba trazendo para mãe e a autoestima que vem como um bônus no pacote.

De que forma a gestação impacta no rendimento, disposição e desafios durante a prática de exercícios e qual o tipo de exercício você indica durante esse período?

A gente fica muito mais preguiçosa durante a gestação, não só para treinar, mas para tudo. Estou bem mais devagar nessa gestação, não vou mentir, muito embora queira estar mais ativa, treinando todos os dias. Mas essa questão da preguiça, da moleza que a gente sente pesa muito, que é hormonal né, faz parte, e traz um cansaço maior para a mulher. Gerar uma vida requer muita energia, então é quase inevitável a gente fugir disso. Na verdade, não posso recomendar nenhuma atividade física porque não sou personal trainer aqui no Brasil, então não está dentro da minha alçada, só o que posso recomendar é buscar um profissional e montar o treino que for melhor para cada mãe com a devida autorização e liberação médica.  

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.