Cai número de empréstimos nas bibliotecas de Maringá. Concurso tenta incentivar leitores. Estudante vencedora de 2017 leu 30 títulos

Por: - 29 de dezembro de 2017
Além do concurso Melhor Leitor, bibliotecas de Maringá realizam leituras dramáticas de obras literárias (Imagem/Murillo Saldanha)

A Secretaria de Cultura (Semuc) divulgou o resultado do 29º Concurso de Melhor Leitor das seis bibliotecas municipais. Em 2017, os 23 inscritos leram, responderam perguntas e apresentaram resumos de 277 obras literárias.

Vinícius Oliveira Pareja, 9 anos, venceu na categoria infantil e Matheus Hamada, 14 anos, na categoria juvenil. Os dois são frequentadores da biblioteca do centro. Na categoria adulto quem levou o prêmio foi Rebecca Christóphoro Packer, 18 anos. Só em 2017, ela emprestou e leu trinta livros da biblioteca do mandacaru.

Para participar do concurso, os frequentadores das bibliotecas precisaram ler no mínimo quatro livros e preencher uma ficha sobre cada um dos títulos. Além disso, nas categorias juvenil e adulto, foi exigido um resumo e a resposta a um questionário sobre a obra.

Na categoria infantil, os leitores responderam sobre o que mais gostaram de cada livro, num texto de até 10 linhas.

No dia 26 de fevereiro, os vencedores participarão de um jantar oferecido pelo Rotary Club para a entrega dos prêmios. O Gerente de Livro, Leitura e Literatura, Júlio César de Paula Rodrigues, diz que a premiação ainda não foi definida. “Como é uma parceria com o Rotary a gente ainda não tem uma premiação específica”, afirmou.

Em anos anteriores, os vencedores ganharam cursos de inglês e bicicletas. Rodrigues acredita que a premiação não é o mais importante do concurso. “Queremos estimular os que não são leitores a participar e ir às bibliotecas. O projeto visa a fomentar o desejo, o hábito pela leitura, que a gente sabe que não é fácil de criar”, afirma.

Ganhadora leu trinta livros em 2017

A estudante Rebecca Christóphoro Packer, 18 anos, é ganhadora por dois anos consecutivos do Concurso Melhor Leitor na categoria adulto. Em 2017, ela leu 30 livros, quase três livros por mês, em média.

Para o concurso, a estudante produziu 21 resumos e não esconde a obra preferida: “Foi Capitães de Areia do Jorge Amado, gostei muito, achei um negócio muito atual. Foi escrito há muito tempo, mas você sai na rua e ainda vê”, diz. A obra retrata a vida de um grupo de menores abandonados que cresceram nas ruas de Salvador.

Rebecca acredita que o gosto pela leitura é reflexo de muito incentivo dos pais. “Meus pais sempre gostaram muito de ler porque são advogados. Eles faziam questão de comprar livros desde quando eu era pequena.”

Uma dica da estudante para quem deseja desenvolver o hábito da leitura, é ler um livro de um filme que assistiu e gostou bastante. “Você tem que achar um tema que se identifique, procurar um livro que tenha afinidade e com uma linguagem mais fácil.”

Leitor indica Fiódor Dostoiévski e Julio Cortázar

O assistente administrativo, Luiz Renato Vicente, 31 anos, foi o ganhador do segundo lugar na categoria adulto. Ele conta que neste ano leu cerca de dez livros e para participar do concurso fez o resumo e respondeu aos questionários sobre seis títulos. 

O assistente administrativo disse que ficou sabendo da premiação por meio de uma das bibliotecárias e ficou surpreso em ser um dos vencedores, logo na primeira vez que participou.

Entre os seis livros que leu para o concurso estão Noites Brancas de Fiódor Dostoiévski e O Jogo da Amarelinha de Julio Cortázar, título que Vicente mais gostou. “Eu diria que você tem que começar pelo que te dá curiosidade. Tem que buscar um título que te desfie”, afirma. 

Vicente conta que começou a ler quando tinha 13 anos. Na época, ele procurava pelos títulos maiores, com cerca de 500 páginas. Porém, ele faz um alerta: “É um perfil meu de leitura. Cada um tem que achar seu tempo e sua velocidade”.

A comissão que define os ganhadores é formada por representantes da Academia de Letras de Maringá, do Clube de Leitura Culturama e por uma bibliotecária. Vicente revela algumas das dicas que usou para produzir os resumos.

“Pelo que escutei, os critérios de avaliação são a sensatez que a pessoa passa no resumo. E precisa ser claro, sem obscuridade. Para provar que você leu.”

Número de empréstimos caiu nas bibliotecas

De acordo com o Gerente de Livro, Leitura e Literatura, Júlio César de Paula Rodrigues, Maringá tem um acervo de aproximadamente 200 mil livros. E cada vez mais títulos têm passado o ano inteiro nas estantes.

Em 2014 foram emprestados mais de 103 mil exemplares nas bibliotecas municipais. Em 2015, o número de empréstimos caiu para 87 mil e no ano passado caiu para 82 mil.

Para o gerente, a redução está relacionada às condições atuais do acervo das bibliotecas.  “Nos últimos três anos não foi comprado nenhum livro para as bibliotecas. A falta de novidades é um dos sintomas da diminuição dos leitores.”

Em 2017, a prefeitura de Maringá abriu licitação para a compra de pouco mais de dois mil livros. O pregão de R$ 57 mil foi homologado pelo prefeito e a entrega dos livros é aguardada para o começo de 2018.

Segundo Rodrigues, outra licitação será aberta em 2018 para a compra de mais títulos. “A gente precisa fazer uma renovação dos livros mais velhos”, afirma.

Rede de Bibliotecas do Paraná

O gerente diz que um dos principais problemas enfrentados nas bibliotecas é o processo de catalogação dos livros. A prefeitura disponibiliza um site para consulta do acervo disponível, mas o conteúdo está defasado.

Em 2018, o objetivo é colocar as bibliotecas da cidade no sistema Pergamum. O sistema de acervo online contempla as principais funções de uma biblioteca e permiti fazer consulta e renovação do acervo pela internet. Além disso, a carteirinha de papel deve ser substituída por uma digital.

“A empresa não faz mais a manutenção, por isso a gente ta fazendo um novo sistema. Vamos fazer a migração desse banco de dados e um treinamento com os funcionários em 2008. Maringá vai fazer parte de uma rede de bibliotecas públicas do Paraná”, explica.

Encontre a biblioteca mais próxima

As seis bibliotecas públicas de Maringá atendem de segunda-feira a sexta-feira das 9h às 17h e aos sábados das 8h às 12h. Quem nunca foi a uma biblioteca pública da cidade e quiser fazer empréstimos, precisa levar os documentos pessoais e comprovante de endereço para fazer o cadastro. Cada leitor pode levar para casa até quatro exemplares.

  • Biblioteca Municipal Profº Bento Munhoz da Rocha Neto, Avenida Horácio Raccanello Filho, 6090-Centro
  • Biblioteca Municipal Pioneiro Nilo Gravena, localizada na Avenida Sophia Rasgulaeff, 693
  • Biblioteca Municipal Pioneiro Manoel Camacho Filho, localizada na Travessa Liberdade, 26 – Vila Operária.
  • Biblioteca Municipal Profª Tomires Moreira de Carvalho, localizada na Avenida Mandacaru, 317 – Jardim Maravilha
  • Biblioteca Municipal Profª Maria Aparecida Cunha Soares, localizada na Avenida São Judas Tadeu, 1429 – em frente ao Parque das Palmeiras
  • Biblioteca Municipal do Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) – Distrito de Iguatemi

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.