Robô Cesu é o novo recepcionista do Multiatendimento da Unicesumar e logo passará a ter novas funções

Por: - 15 de dezembro de 2017
Robô maringaense Tinbot ainda em fase de testes na UniCesumar / Amanda Watanabe

Quem chega no Multiatendimento da Unicesumar provavelmente vai se deparar com um simpático robozinho branco, de cerca de 40 centímetros de altura e gorro de Papai Noel, batizado de Cesu. No início do mês (5/12) o Cesu foi elevado ao cargo de recepcionista do setor, localizado no Bloco 11 da instituição.

O Cesu ainda está em fase de teste e a expectativa é que seja apresentado oficialmente em meados de 2018. O robô está sendo fabricado pela empresa maringaense DB1 Global Software, que já vendeu dois protótipos, por R$ 10 mil reais cada. O outro robô foi comprado pelo Sicoob, mas ainda não atendendo ao público.

A gestora do Escritório de Projetos (PMO) da Unicesumar, Cristina Yoshie Kimura, diz que a compra do robô foi uma iniciativa do reitor Wilson de Matos Silva, que é vice-presidente do Centro de Inovação de Maringá (CIM). A parceria com a DB1 Global é uma forma de fomentar a inovação.

O nome do robô foi escolhido por intermédio de uma votação virtual, na qual participaram os colaborados da instituição. Entre as três opções disponíveis estavam: Albert [Einstein], Leo [da Vinci] e o vencedor, Cesu, que remete à abreviação de Unicesumar.

Robô Cesu desperta curiosidade de quem passa

Cristina explica que o Cesu é “totalmente configurável” pela própria equipe da Unicesumar. “O robô tem despertado curiosidade tanto dos alunos, pais de alunos e visitantes que passam por ele”, conta.

Apesar do repertório composto por poucas frases, ela explica que a base de dados do Cesu pode ficar em uma nuvem. Isso permite programar uma quantia ilimitada de falas, mas isso ainda não foi feito e por enquanto a memória fica no próprio robô.

Ao entrar pela porta principal do Multiatendimento logo é possível avistar o robô. Ao lado dele, um adesivo instrui as pessoas à dizerem “Olá Cesu”. Após o beep emitido pelo robô, a pessoa deve dizer “informações” e logo em seguida o robô pedirá para você se identificar como visitante, aluno ou pai de aluno.

Conforme sua escolha, ele vai fornecer as opções disponíveis e, por fim, te indicar para onde deve seguir. Confira o processo no vídeo a seguir:

Criador do robô diz que melhorias estão sendo feitas

No entanto, o robô Cesu ainda enfrenta algumas dificuldades, naturais para quem acaba de ser promovido, e necessita de melhorias. Um exemplo é a audição. Muitas vezes o robô não consegue captar o som emitido pelas pessoas que falam com ele.

O estudante do 2º ano de Jornalismo da Unicesumar, Gabriel Trevisan, conta que foi conversar com o Cesu e após dizer a frase indicada no cartaz o robô não respondeu. “O robô não disse nada, então desisti de falar com ele”.

Mesmo assim Trevisan acredita que, “se funcionar como deve, o robô vai responder perguntas básicas evitando atrapalhar o fluxo de trabalho dos funcionários da instituição”.

O encarregado do projeto do robô e programador da DB1 Global, Marco Diniz, explica que o defeito foi detectado e que uma consultoria de eletrônica está trabalhando para melhorar as imperfeições existentes.

Além da dificuldade auditiva, Diniz relata que “o robô trava e se perde em alguns momentos”. Ele afirma que quando o robô for lançado oficialmente estará com todas essas questões resolvidas.

Portal vai permitir uma comunicação mais fácil

O objetivo é que até o inicio do ano que vem, a empresa responsável pelo desenvolvimento do robô forneça um site que vai permitir que os donos dos robôs possam controlá-lo e programá-lo de maneira mais fácil e indutiva.

“Desta forma, será permitida a construção de frases mais elaboradas e uma comunicação mais fluida. O robô entenderá o que a pessoa quer dizer sem necessitar que seja dita apenas com as palavras exatas com as quais ele está programado”, diz o programador.

Também será elaborado um sistema de “árvore de decisão” para o robô manter um contexto de conversa, explica Diniz. “Atualmente o robô só entende a pergunta feita na hora. Com a árvore de decisão, quando estiver na terceira pergunta o robô ainda lembrará qual foi a primeira e poderá dar uma resposta dentro de todo o contexto”, explica.

Cristina afirma que a expectativa é que até o segundo semestre de 2018 sejam comprados  mais robôs. Além de recepcionar, o Robô Cesu poderá ser utilizado como “assistente de equipe para gestão de times de alta performance”.

Ela explica que ele pode gerenciar um grupo de pessoas, apontando atrasos e avisando de compromissos que estão se aproximando. “Já foi comprovado que quando o robô cobra um funcionário o impacto é mais positivo”, diz.

Segundo Cristina, “quando a cobrança vem do ser humano o funcionário pode pensar que é pessoal, que tá pegando no pé dele. Quando a lembrança é emitida por um robô não tem essa possibilidade”.

Alunos poderão solicitar serviços via robô

Outro objetivo, conta Cristina, é incluir no robô a possibilidade de receber solicitações de serviços, como segunda via de prova, revisão e prova substitutiva, entre outros. Atualmente, os serviços devem ser solicitados via ambiente online.

Para que essas funções serem viabilizadas é preciso, antes, a configuração do portal e posteriormente desenvolver um sistema de integração, o que deverá ser feito pela própria equipe da Unicesumar, para integrar com o sistema da instituição.

Como é novidade e por enquanto é o único na Unicesumar, o Robô Cesu costuma ser levado para feiras e eventos da instituição, por isso as vezes ele abandona o posto de recepcionista do Multi atendimento.

A previsão, de acordo com Cristina, é que na próxima quinta-feira (21/12) chegue mais um robô. que em 2018 ficará no Colégio Objetivo, também para recepcionar os visitantes, alunos e pais de alunos.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.