Lu Oliveira convida a refletir sobre relações de adultos com crianças e adolescentes em “Somos faróis”

Por: - 18 de outubro de 2017
Professora, colunista e escritora lança o livro "Somos faróis" / Divulgação

Não há fórmulas e nem receitas prontas. “Educar é um desafio diário que exige acompanhamento, conhecimento, responsabilidade e sensibilidade”, afirma a professora, colunista do jornal O Diário e escritora Lu Oliveira, que convida a refletir sobre a família no livro “Somos faróis – o papel do adulto na formação da criança e do adolescente”.

A professora, apaixonada pelas palavras e pela educação – com 20 anos de experiência em sala de aula com adolescentes, afirma que o objetivo do livro não é ensinar, mas levar as pessoas a pensar. “Sempre há tempo de renovar as relações entre pais e filhos”, acredita.

Divididos em textos breves e objetivos, a autora aborda temas que muitas vezes são tratadas como tabus dentro das casas. Discute a afetividade e a sexualidade, o consumo de álcool e a influência das companhias na vida dos filhos.

“Educar é um prazer, mas cansa e a gente sempre se questiona se esta fazendo a coisa certo. Não podemos desistir, temos que persistir”, afirma a mãe de dois filhos, um de 11 e outro de 18 anos. “Vivo neste universo diariamente. Tudo faz muito parte da minha realidade. Minha credibilidade ao escrever, vem de algo que é muito próximo a mim.”

O desafio da imposição de regras

Ao discutir o valor do dinheiro, o valor do afeto e o exercício da autoridade, Lu afirma que é favorável a punições e perdas para que os pais não percam o controle. “Não pode ter inversão de papeis. As regras precisam partir dos pais, sem medo de cara feia, briga. E se há uma imposição afetuosa, desde a infância, é difícil perder o caminho. Mas se a pessoa tem um filho de 15 anos que ainda precisa entender que os pais mandam, sem nunca ele saber disso, fica muito mais complicado”, observa.

A autora também trata do relacionamento afetivo entre os casais e como as separações conjugais mexem com a vida dos filhos, por exemplo.

“A intenção é levar o leitor a pensar sobre o a importância do seu papel na vida de uma criança ou de uma adolescente e, a partir disso, provocar mudança de posturas ou atitudes ou, quem sabe, a manutenção delas, quando assim se entender apropriado”, diz.

Apesar de tratar a fundo questões entre pais e filhos, a autora acredita que o livro terá espaço entre adolescentes e também adultos que não tenham filhos. “Não deixam de ser responsáveis. Os jovens youtubers, por exemplo, têm uma função importante para os adolescentes. Têm facilidade de comunicação e condição de influenciar. A questão é qual o farol que eles pretendem ser?”, provoca.

O título, explica a autora, é uma analogia à figura do farol que orienta os barcos à deriva no mar, mas sem a pretensão de revelar segredos para educar. Mas com linguagem acessível e argumentação precisa, Lu quer despertar o desejo de ser um farol. “A minha intenção é convidar as pessoas a refletir e decidir, como adultas e responsáveis, se há o que mudar na forma de agir”, afirma.

Lançamento:

  • “Somos faróis – o papel do adulto na formação da criança e do adolescente”.
  • Quinta-feira (19/10) – às 19 horas
  • Livrarias Curitiba do Shopping Maringá Park, 3º piso
  • Preço: R$ 29,90

 

 

 

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.