O retorno da “Primavera Brasileira”

O termo “Primavera dos Povos” foi utilizado para nomear uma série de movimentos revolucionários que transformaram nações. Estes momentos tiveram em comum a participação de variados grupos e setores das sociedades como trabalhadores, acadêmicos, filósofos, industriais, além da monarquia e a burguesia.

Por: - 7 de setembro de 2019

Estamos chegando na primavera! E aqui na terra dos Tupiniquins (no meu caso Guaranis) essa estação do ano traz muitas sensações. Seja pelo fato de estarmos finalizando o ano ou de sairmos mais aos encontros sociais, e até mesmo pela sensação de cantar a música de Tim Maia em plena estação primaveril. Todos gostamos da primavera por algum motivo.

Breves reflexões sobre a primavera.

Na mitologia grega a primavera começa quando Perséfone, filha de Deméter deusa da natureza, volta ao colo de sua Mãe. Perséfone era casada [e presa em um relacionamento abusivo] com Hades deus do submundo [só por que ele era], irmão de Zeus. O acordo [machista e patriarcal] estabelecido entre os deuses, permitia que a cada seis meses Perséfone deixasse seu marido e ficasse com sua mãe.

Acho interessante como os gregos construíram esta história para explicar os fenômenos que eles viam e sentiam. Aqueles meses em que o dia parecia era mais longo terminariam, agora a Deusa da Natureza estaria feliz e produtiva, presenteando a humanidade com fertilidade, flores e frutas.

Hoje sabemos com um Google AQUI, que a primavera marca o início do Equinócio, onde os dias passam a ter a mesma duração que a noite. Com outro Google ALI também é possível entender as mudanças climáticas ocorridas com o aumento das temperaturas nos mares e rios. E olha que nem mencionei o fato de a primavera marcar o início do ciclo de libra no Hemisfério Sul, que traz uma energia de socialização e renovação.

O termo “Primavera dos Povos” foi utilizado para nomear uma série de movimentos revolucionários que transformaram nações. Estes momentos tiveram em comum a participação de variados grupos e setores das sociedades como trabalhadores, acadêmicos, filósofos, industriais, além da monarquia e a burguesia.

Você está preparado para a Primavera Brasileira?

O cronista não pode deixar de chamar atenção ao que está ocorrendo atualmente no Brasil. Desde 2013 nunca houve tanta ocorrência de protestos populares e manifestações de rua pelo País. Desde os panelaços até a dor de cabeça do Impeachment, lembra? Depois a coisa degringolou de vez com a greve dos caminhoneiros.

O país também teve [e ainda tem] que sair às ruas e gritar por Marielle Franco [vítima de um crime político, cometido por milicianos do Rio de Janeiro]. E recentemente as mulheres, as universidades, uniões estudantis, os ambientalistas, trabalhadores, LGBTQI’s, povos originários e população preta também já foram chamados às ruas. Tivemos até mesmo protestos a favor do governo, e outros contra o STF!

Entendeu as variantes que podem levar a revolução brasileira a um florescer nesta primavera? Proponho-lhe o seguinte exercício; assim que sair desta página, vá a qualquer jornal ou site de notícias e leia sobre as manifestações de 7 de setembro de 2019 no Brasil. A primavera está chegando, talvez seja o início do que poderá ser conhecido como o retorno da “Primavera Brasileira”.

Ah… E manda um abraço lá!

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.

Tenha acesso liberado ao melhor jornalismo da cidade. Assine o Maringá Post e fique bem informado. Saiba mais aqui.