Reflexões sobre a Interdisciplinaridade, Parte III – A Práxis

As lentes que utilizamos para ver o mundo.

Se você coloca um óculos com lentes verdes, tudo o que você vê fica verde. Se trocar por outro óculos de lentes azuis, o que verá será azul. Se o próximo óculos for de lentes rosa, você olhará para uma parede branca e, por óbvio, verá tudo cor de rosa.No entanto, o fato de estar vendo a realidade através de uma lente colorida não significa que as coisas sejam coloridas.

Desde que nascemos e durante todo o processo da construção de nossa personalidade, recebemos uma lente com uma determinada cor. Tal lente nos é dada pela família e por toda sociedade que nos rodeia, esta lente nos mostra o mundo de acordo com a cor que nos foi dada.

Ao longo do tempo as experiências vividas nos conferem lentes de outras cores, dessa forma passamos abrigar novos anseios, argumentos e ideologias. Talvez percebamos que com o tempo consigamos definir, com maior ou menor grau de acerto, a cor da realidade.

Existe apenas uma visão perspectiva, apenas um “conhecer” perspectivo; e quanto mais afetos permitirmos falar sobre uma coisa, quanto mais olhos, diferentes olhos, soubermos utilizar para essa coisa, tanto mais completo será nosso “conceito” dela, nossa “objetividade”. (NIETZSCHE, F. Genealogia da moral, III, §12, p.109).

A realidade é mais complexa do que podemos ver e, para entender este mundo cada vez mais plural, é muito importante usar variadas lentes. Mas qual os efeitos que esta pluralidade de lentes teria em um grupo de trabalho, ou um time dentro de uma empresa?

Levando a Interdisciplinaridade para a vida.

Imagine uma empresa em que, na mesma, sala se encontram pessoas de variadas idades, fés, posicionamentos políticos, Hobby’s diferentes e interesses musicais diversos. Agora imagine este mesmo grupo em uma reunião tratando sobre a melhoria de processos. Cada um, com sua lente, irá compor a palheta de cores do grupo, oferecendo um pouco de sua experiência para que as ações tomadas possam impactar o maior número de pessoas positivamente.

Neste grupo é desejável que haja aquela jovem de 28 anos que tem 2 filhos, o perfil nerd que gosta de games, o rapaz de humanas super interessado por política, o estagiário que está no ensino médio, a pessoa trans, o imigrante latino que está morando no país em busca de melhores condições. Enfim, você acha possível que haja um lugar assim para trabalhar, e que com todas estas lentes juntas, consigam manter coeso e produtivo um time?

O seu cérebro está preparado para isso, a forma como os neurônios atuam entre si, construindo conhecimentos e estruturas cada vez mais complexas, evidenciam que é – pelo menos do ponto de vista neural – perfeitamente possível encontrar pontos em comum, pontos em que as informações se relacionem e se articulem. É possível incorporar modos distintos de ver o mundo – sem que você necessariamente deixe de perder sua essência.

Referências:

Jean Piaget” em Info Escola – Biografias. Por Camila Sibele Bessa Mendes, Graduada em Pedagogia (UNESA-RJ, 2011). Consultado em 23/08/2019. Disponível em: https://www.infoescola.com/biografias/jean-piaget/

Células nervosas” em Só Biologia. Virtuous Tecnologia da Informação, 2008-2019. Consultado em 20/08/2019 às 15:29. Disponível na Internet em https://www.sobiologia.com.br/conteudos/FisiologiaAnimal/nervoso2.php

Miranda Neto, Marcílio Hubner, Sonia Lucy Molinari, and Débora de Mello Gonçalves Sant’Ana. “Relações entre estimulação, aprendizagem e plasticidade do sistema nervoso.” Arquivos do Museu Dinâmico Interdisciplinar 6.1 (2002).

Nietzsche, Friedrich Wilhelm Nietzsche. A Genealogia da Moral. Alemanha, 15 Out 1844 // 25 Ago 1900.

PIAGET, Jean. Autobiografia. in EVANS, Richard. Jean Piaget: o homem e suas idéias. Rio de Janeiro: Forense, 1980. Pág. 125-153

“Ser ou Não Ser: cérebro, conexões e o futuro moldável” em O futuro das coisas, 10 de Dez de 2015. Consultado em 20/08/2019. Disponível em: https://ofuturodascoisas.com/ser-ou-nao-ser-cerebro-conexoes-e-o-futuro-moldavel/

Vanderson Souza
Graduado em Letras, acadêmico de história e professor nas horas vagas, escrevo porquê não tenho dinheiro pra análise. Vamos refletir e relembrar um pouco sobre Literatura, Música, Antropologia e História? Aqui no "Inter Ditos" você irá encontrar a articulação desses saberes, com os temas comuns à vida cotidiana e as últimas notícias.
Últimas vagas de Empregos