Reflexões sobre a Interdisciplinaridade, Parte II – A lição de Piaget

Jean Piaget – Biografia

Jean Piaget (1896-1980) foi o nome mais influente no campo da educação durante a segunda metade do século 20, a ponto de quase se tornar sinônimo de pedagogia. O mais interessante no caso de Piaget, é que a primeira área de seus estudos não tinha nenhuma relação com a pedagogia, na verdade o pesquisador francês fez seu doutorado em biologia. E seu talento começou cedo, aos 11 anos de idade ele tinha escrito seu primeiro trabalho sobre um pardal Albino.

Jean Piaget

Depois de haver estudado o desenvolvimento de moluscos, Piaget já tinha começado a se interessar por filosofia, mais especificamente a Epistemologia. Além disso ele começou a estudar psicologia  e comportamento humano, e até conheceu Carl Jung. Mas a partir de 1925 quando nasceu sua primeira Filha, Jacqueline (1925), Piaget começou a observar, na criação de suas filhas, tudo o que havia aprendido sobre biologia. Essas observações o conduziram a estudar o desenvolvimento cognitivo a partir de estruturas de conhecimento já acumuladas. Piaget estabelecia a teoria da epistemologia genética.

Ele nunca atuou como pedagogo, mas estudou muito o processo de aquisição de conhecimento pelo ser humano, particularmente a criança. Arrisco-me a dizer, quase sem medo de errar, que todos nós fomos de alguma maneira afetados por isso. As grades curriculares da alfabetização e do primerio ciclo do ensino fundamental, possivelmente foram montadas levando em conta as considerações de Piaget.

Etapas de Desenvolvimento Cognitivo em Crianças de Acordo com a Teoria Piaget Fonte: opas.org.br

Assim me convenci de que havia encontrado a solução. Ali, enfim, estava a união íntima com que sonhara entre a Biologia e a Filosofia, um acesso à Epistemologia que me pareceu, então, realmente científico.” (Piaget Jean, 1980. Pág. 125)

O valor de ações multidisciplinares tomadas por organizações.

O caso Piaget nos ensina que os conhecimentos se articulam e que quando mais pluralidade, mais interdisciplinaridade adquirimos, maior será a nossa capacidade de acomodar e articular conhecimento. Quanto maior for a nossa capacidade em adquirir saberes diferentes, mais sofisticadas e precisas serão as conclusões e soluções a que chegaremos.

A título de exercício, pare e pense: Que vantagem há em ter um gestor de uma empresa que também é professor? De um contador que é programador? Ou de um filósofo que trabalha em uma empresa de tecnologia? Ou se quiser inverter, de um programador que se interessa por filosofia?

Vamos dar um exemplo prático. Em 2015 o Facebook aumentou as opções de identificação de gênero dos seus usuários, para além das opções de “masculino” e “femino” há as opções de “pessoa trans”, “sem gênero”, entre outras. Seguramente, estas alterações envolveriam times variados dentro de uma empresa de tecnologia que desenvolve redes sociais. Por outro lado, para que a gestão considerasse colocar em seu planejamento estratégico a discussão sobre diversidade de gênero, alguns pontos sobre psicologia, sexualidade humana, sociologia e tecnologia, devem ter sido articulados juntos, devidamente delineados em planos de ação.

Articulação de saberes, gera novas estruturas de pensamento. Exemplos vão a mil, a partir do momento em que a história teve que se amparar na biologia, física e química para auxiliar os estudos da pré-história, ou a partir de quando a matemática se mescla com a sociologia derivando teorias administrativas, econômicas e contábeis. No proximo texto desta sequência, seguiremos em uma análise mais pragmática da importância da interdisciplinaridade.

Vanderson Souza
Graduado em Letras, acadêmico de história e professor nas horas vagas, escrevo porquê não tenho dinheiro pra análise. Vamos refletir e relembrar um pouco sobre Literatura, Música, Antropologia e História? Aqui no "Inter Ditos" você irá encontrar a articulação desses saberes, com os temas comuns à vida cotidiana e as últimas notícias.
Últimas vagas de Empregos