‘Empresários Zumbis’: Investigação revela mais de 2.000 “empresas de fachada”, com diretores de mais de 123 anos

Compartilhar

Por Vitor Germano

Um instituto de pesquisas americano chamado Moody’s Analytics publicou um estudo sobre “bandeiras vermelhas” que podem sinalizar que uma empresa pode estar sendo usada para facilitar crimes financeiros.

Mais de 21 milhões destas “bandeiras” foram registradas, de endereços questionáveis a diretores anciãos. Por exemplo, mais de 2.200 têm diretores com 123 anos ou mais de idade – levando em conta que a pessoa com recorde de vida mais longa morreu aos 122.

De acordo com Richard Graham, diretor de pesquisa da Moody’s Analytics, uma destas empresas estava com um diretor registrado que teria 942 anos de idade. Ou seja, ele teria nascido no século 11.

A pesquisa inclui uma empresa têxtil da China, que relatava um lucro de 2 bilhões de dólares, apesar de ter apenas um empregado registrado. Também há milhares de exemplos de diretores que teriam menos de cinco anos, e 22.000 entidades cujo endereço listado eram as Pirâmides do Egito. Enquanto isso um indivíduo tinha 5.751 empregos em 2.883 empresas diferentes.

O estudo observou cerca de 472 milhões de empresas em Novembro. O país com o maior risco de empresas fraudulentas foi o Reino Unido, com quase 5 milhões de “bandeiras vermelhas”. Mas empresas nos Estados Unidos eram as que mostravam mais sinais de anomalia financeira, com mais de 1,25 milhão. O Panamá também é um local popular, com 47% doas empresas investigadas no país erguendo alarmes, embora o número de registros anônimos de empresas diminuiu para metade do que era desde a publicação dos Documentos do Panamá em 2016.

Enquanto possam haver razões legítimas para o registro de empresas de fachada, elas são comumente usadas para esconder atividade criminal financeira.

Foto ilustrativa: Agência Brasil


Compartilhar