Presa no Rio, mulher de traficante paraense recebeu R$ 8 mil de auxílio emergencial

Compartilhar

Foto: Reprodução

A polícia civil do Pará prendeu no último domingo, Evelin da Rosa Baladan, de 25 anos, mulher de um dos líderes de uma facção criminosa que atua no Pará e no Rio de Janeiro. Ela é suspeita de lavagem de dinheiro, tráfico de drogas e associação para o tráfico. A prisão ocorreu na Praia da Reserva, Zona Oeste do Rio, onde Evelin participava de uma festa com uma amiga.

Segundo o delegado Cláudio Galeno, titular da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), Evelin movimentou cerca de R$ 2 milhões em suas contas bancárias, provenientes de atividades ilícitas. Ela também recebeu 10 parcelas de auxílio emergencial, totalizando cerca de R$ 8 mil, entre abril de 2020 e outubro de 2021. A polícia pediu o bloqueio dos valores nas contas de Evelin, que serão usados para ressarcir o erário público.

Ainda de acordo com o delegado, Evelin e outras mulheres da facção costumavam gastar o dinheiro do tráfico com intervenções estéticas, como cirurgias plásticas e modeladoras. Ele afirmou que a prisão de Evelin faz parte da operação Acerto de Contas, que já prendeu 18 pessoas por envolvimento com a organização criminosa. Na primeira fase da operação, a polícia também bloqueou mais de R$ 6 milhões nas contas dos investigados.

Evelin é casada com Anderson Souza Santos, o Latrol, considerado um dos chefes da facção que domina o tráfico no Pará. Latrol está foragido e se esconde em favelas no Rio, junto com outros integrantes da cúpula do bando. Ele era um dos principais comparsas de Léo 41, que morreu em uma operação policial no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, em março. Léo 41 era o primeiro bandido paraense a assumir o controle do tráfico em uma favela do Rio, em Itaboraí. Ele era procurado no Rio há mais de dois anos e meio e tinha uma recompensa de R$ 10 mil por sua captura.

Fonte: O Globo

 


Compartilhar