Fundação Araucária e Renault vão investir R$ 700 mil em novas bolsas de pesquisa

Compartilhar

A Fundação Araucária e a Renault do Brasil lançaram nesta semana a nova edição do programa de apoio a projetos científicos. Serão investidos mais de R$ 700 mil em bolsas de graduação, mestrado e doutorado. O objetivo é incentivar a articulação entre instituições de ciência, tecnologia e inovação (CT&I) e projetos da empresa, viabilizando a formação de futuros profissionais. Também favorece o aprendizado de estudantes em práticas diferenciadas relacionadas ao universo do setor automotivo.

Os valores das bolsas serão de R$ 1.500,00 para a graduação e de R$ 2.800,00 para o mestrado por até 12 meses e de R$ 3.800,00 para estudantes de doutorado pelo período de até 24 meses. O prazo para submissão de propostas vai até o dia 29 de junho e o resultado final deve ser divulgado a partir de 1º de agosto.

Podem participar alunos matriculados em curso de graduação ou pós-graduação stricto sensu em instituição de ensino superior ou instituto de pesquisa, de natureza pública ou privada, sem fins lucrativos, de utilidade pública estadual e com sede e CNPJ do Estado. Ele também precisa disponibilizar no mínimo 24 horas semanais para permanência na empresa, situada em São José dos Pinhais, durante 12 meses consecutivos.https://www.fappr.pr.gov.br/Programas-Abertos

Os temas envolvem desenvolvimento de soluções digitais, melhoria no sistema de controle de estoque de peças, criação de ferramentas de monitoramento de frotas, entre diversos outros descritos no edital, que pode ser acessado pelo site da Fundação Araucária.

O diretor de CT&I da Fundação Araucária, Luiz Márcio Spinosa, destaca que esta parceria fortalece a estratégia de aproximação do Sistema de Ciência e Tecnologia do Estado com o setor privado. “Estas chamadas permitem que as empresas e indústrias apontem problemas que são considerados de alta complexidade e que podem ser resolvidos com apoio de nossos pesquisadores e universidades. É uma forma muito eficiente de desenvolvermos pesquisa aplicada, gerar riqueza e qualidade de vida”, disse.

“Além de ser um processo muito importante para a formação dos nossos pesquisadores, que passam a tratar de problemas reais, mais próximos do que a sociedade necessita, é uma chance de apoiar um setor fundamental para a economia do Paraná”, complementou.

Elizangela Camargo, que coordena o programa pela Renault, ressalta que a parceria com a Fundação Araucária, que está em vigor desde 2014, apoia a multinacional no desenvolvimento de pesquisas científicas e inovações. “Os bolsistas são ativos preciosos em nossa base de talentos. Temos exemplos de bolsistas que iniciaram como graduandos e finalizaram o doutorado conosco. Outros foram efetivados e são nossos colaboradores hoje em dia, inclusive autores de patentes industriais”, acrescentou.

“A parceria com a Fundação Araucária nos permite um envolvimento saudável com o ecossistema de inovação e as universidades da nossa região”, afirmou.

A bolsista Heloísa Colli Moreira, do Mestrado em Engenharia de Materiais da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), que já recebeu o benefício, exemplifica o papel desse apoio em sua formação. “Essa bolsa é uma grande oportunidade para a continuidade de uma formação. Fazer pesquisa dentro da indústria tem um outro peso comparado a fazer pesquisa só na academia”, contou.

AEN


Compartilhar

Autor

Notícias Relacionadas