Papagaio retirado de família pelo IAT é furtado de centro de animais silvestres

Foto: Reprodução/RPC

O Instituto Água e Terra (IAT) retirou o papagaio Rico, como é chamado, de uma família em Ponta Grossa. O animal desapareceu de dentro de um centro de animais silvestres, no qual estava sob posse do órgão.  

O IAT é  responsável pela regularização de animais. Entretanto, o desaparecimento do animal só foi descoberto pela família de Rico quando eles conseguiram judicialmente reaver a tutela do papagaio.

A advogada da família foi buscar o animal no Instituto Água e Terra, mas ao chegar lá foi notificada da situação.

Regularização

Rico é uma herança deixada pela avó de André, que passou a cuidar dele junto aos tios. 

Ao ser procurado, o IAT afirmou por nota que não foi comunicado da decisão judicial de devolução da guarda para a família e que, assim que soube do furto, acionou a polícia.

Em 2019, por ser um animal silvestre, André buscou o IAT para fazer a regularização da tutela do papagaio. Rico é da espécie Amazona aestiva, que não tem risco de extinção. A resposta só veio em janeiro deste ano.

Segundo a família, os agentes do instituto foram até a casa dos tios de André e fizeram uma inspeção pelo local. Eles encontraram Rico junto a outros dois pássaros, uma patativa e um curió, duas espécies ameaçadas de extinção.

Os animais foram apreendidos, e o jovem multado em mais de R$10 mil.

“Fiquei sabendo só que eles eram silvestres porque eles foram lá e apreenderam. Porque eu tinha explicado para eles que tinha mais dois pássaros e eles falaram que era pra fazer o cadastro apenas do papagaio. E eu deixava todos eles juntos, não tinha nada a esconder”, relembrou.

*Com informações G1.