Com crescimento de 9,3% em 2021, Paraná consolida liderança na produção de peixe

                                                                                     Foto: Arquivo AEN-PR

A produção de peixes de cultivo cresceu 9,3% no Paraná em 2021, o que consolida o Estado como líder nacional no segmento, segundo o Anuário Peixe BR. O Estado produziu, no ano passado, 188 mil toneladas de peixes, 16 mil toneladas a mais do que no ano anterior, que chegou 172 mil toneladas. O volume equivale a 23% de toda a produção nacional, que foi próxima de 803 mil toneladas em 2021, um avanço de 4,7% com relação a 2020.

Principal espécie cultivada no País, mais de um terço da tilápia brasileira vêm dos tanques paranaenses. Em 2021, o Estado cultivou 182 mil toneladas do peixe, o que foi superior à soma dos outros três principais produtores: São Paulo (76.140), Minas Gerais (47.000) e Santa Catarina (41.700).

O desempenho do Estado puxa a liderança da região Sul na atividade. No total, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul produziram 269.300 toneladas em 2021, o que representa 32% do total do país. Em percentual de crescimento, o Sul só não foi melhor que o Sudeste (152.895 toneladas), que cresceu 8,6%.

A tilápia respondeu 63,5% dos peixes cultivados no Brasil no ano passado, chegando a 534.005 toneladas. Com 262.370 toneladas, peixes nativos como o tambaqui foram responsáveis por 31,2% do total. As outras espécies (carpas, trutas e pangasius) atenderam por 5,3% da produção total de 2021, atingindo 44.585 toneladas.

Segundo a entidade, a piscicultura envolve mais de 1 milhão de produtores no Brasil e gera cerca de 1 milhão de empregos diretos e 2 milhões indiretos. A atividade movimento, no ano passado, R$ 8 bilhões. A tilápia foi a espécie mais exportada, totalizando US$ 18,2 milhões em 2021 ((R$ 98,2 milhões na cotação atual), o que representou 88% do total.

Cooperativas

Para a Peixe BR, o Paraná tem um modelo de produção definido, com destaque para a atuação das cooperativas paranaenses na piscicultura. O anuário traz o exemplo da C.Vale, que quatro anos depois de dar início a um sistema integrado para produção de peixes, ultrapassou a marca de 100 mil tilápias de abate por dia.

A cooperativa paranaense está processando 115 mil tilápias/dia em seu frigorífico no município de Palotina, na região Oeste, o maior polo de produção de peixes do Estado. Pouco de 200 cooperados da C.Vale atuam na atividade, que entrou para diversificar a produção de grãos. Os cortes de tilápia processados são destinados ao mercado internado e também são exportados para os Estados Unidos, Japão e outros países asiáticos.