Facebook quer ‘uma mãozinha’ para traduzir conversas em tempo real

Como parte da tentativa de alavancar o uso de Inteligência Artificial (IA) em projetos de realidade aumentada e virtual, a Meta, holding do Facebook, está abrindo o código de sua ferramenta de tradução para que desenvolvedores possam colaborar com o aprendizado da plataforma. Segundo a empresa, o modelo já tem suporte para 200 idiomas.

O modelo é uma aposta para construir uma ferramenta de tradução “ao vivo”, que funcionaria por meio de realidade virtual. O projeto foi apresentado por Mark Zuckerberg, presidente da empresa, em fevereiro deste ano.

Com a ajuda de um equipamento de realidade virtual, como óculos, por exemplo, usuários poderiam conversar com pessoas de idiomas diferentes, recebendo a tradução, via imagem, em tempo real. A ideia se assemelha a uma espécie de legenda do mundo real.

Para isso, a empresa quer a colaboração de outras pessoas que possam ajudar a IA a entender mais línguas ao longo do tempo. De acordo com o Facebook, a ferramenta vai ser construída para ser “econômica”: um único sistema é capaz de fazer o processamento de todos os idiomas suportados pela IA.

Além disso, o Facebook quer novas formas de entender como seu usuário enxerga e se interessa pelos seus produtos. A empresa viu, em 2022, o número de usuários cair pela primeira vez em quase 20 anos de existência. Estudos relacionados a área de realidade virtual, encabeçados pelo metaverso, podem retomar o interesse dos usuários e ajudar a empresa a pensar em fontes de receita, como publicidade, de novas formas.

“A tradução não funciona para todos os idiomas que nós falamos, então esse foi o motivo de começarmos esse projeto. Nós temos essa motivação de: ‘o que seria necessário para produzir uma tecnologia de tradução que funciona para todo mundo?’”, afirmou a cientista de IA do Facebook Angela Fan, ao site americano The Verge.

Estadão Conteúdo