Operação da Polícia Federal desarticula quadrilha ligada ao contrabando

A Polícia Federal cumpre, nesta quinta-feira (9), mandados na operação Capital, que busca desarticular uma organização criminosa que age no transporte de cigarros contrabandeados em  Guaíra, na fronteira do Paraná com o Paraguai, e movimentava R$ 3,8 milhões por dia com produtos contrabandeados. A ação ocorre nas cidades de Guaíra, Terra Roxa, Iporã, Francisco Alves, Umuarama, Cafezal do Sul e Altônia, no Paraná e em Santa Catarina.

A operação foi batizada de  capital, em alusão a maneira em que criminosos se referem a Altônia onde era centralizada a ação de contrabando. “Até o momento 45 mandatos de prisão tinham sido efetivamente cumpridos, 11 pendentes de confirmação e cerca de 10 não foram cumpridos Além desses mandatos de busca, foram realizados duas prisões em flagrante por porte de arma.”, diz o delegado Pedro Turin.

Em Guaíra, oito policiais militares  foram presos e um foi afastado das funções. As investigações apontaram que eles recebiam propina  para facilitar as atividades do grupo repassando informações sobre as forças de segurança. Em Umuarama, um homem foi preso apontado como olheiro.  O delegado Mário Leal diz que ” O grupo estava organizado em lideranças, patrões, motoristas, batedores, olheiros, policiais corrompidos… Formato de uma empresa legitima, mas voltada para a prática de ilícitos.”

Os criminosos devem responder pelos crimes de contrabando, organização criminosa e corrupção ativa e passiva, com penas que ultrapassam 25 anos de prisão. Participa da operação também a Polícia Militar do Estado do Paraná e da SEOPI/MJSP.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.