OMS registra 169 casos de hepatite de origem desconhecida

A maioria dos casos de hepatite foram registrados em países europeus. Até o momento, uma morte foi confirmada.
Foto: Agência Brasil

A Organização Mundial da Saúde (OMS) confirmou, neste sábado (23), o surgimento de 169 casos de casos de hepatite aguda grave de origem desconhecida. A maioria das notificações está na Europa e envolve bebês, crianças e adolescentes entre 1 mês e 16 anos de idade. Até o momento, uma morte foi confirmada.

De acordo com a OMS, foram notificados 114 casos da doença no Reino Unido; 13 na Espanha; 12 em Israel; nove nos Estados Unidos; seis na Dinamarca; cinco na Irlanda; quatro na Holanda; quatro na Itália; dois na Noruega; dois na França; um na Romênia e um na Bélgica.

Os sintomas da doença incluem elevada taxa de enzimas hepáticas, vômito, diarreia e dores abdominais. Entre os casos registrados, 17 crianças (cerca de 10% do total) necessitaram de transplante de fígado após contraírem a doença.

No comunicado distribuído à imprensa, a OMS declarou que está monitorando a situação e afirmou que não é preciso restringir viagens e o comércio com o Reino Unido e os demais países que tiveram casos confirmados.

Sobre a doença

A hepatite é uma infecção que atinge o fígado, podendo causar alterações leves, moderadas ou graves. Pode ser causada por vírus ou pelo uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, assim como por doenças autoimunes, metabólicas e genéticas.

Na maioria das vezes são infecções silenciosas, ou seja, não apresentam sintomas. Entretanto, quando presentes, podem se manifestar como: cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras.

No Brasil, as hepatites virais mais comuns são causadas pelos vírus A, B e C. Existem ainda, com menor frequência, o vírus da hepatite D (mais comum na região Norte do país) e o vírus da hepatite E, que é menos frequente no Brasil, sendo encontrado com maior facilidade na África e na Ásia.

Transmissão 

A transmissão da hepatite pode ocorrer pelo contato oral-fecal ou pelo contato com o sangue contaminado. Algumas formas de contaminação mais comuns incluem:

  • Compartilhar seringas;
  • Ter relações sem camisinha (preservativo);
  • Consumir alimentos ou água contaminados por fezes;
  • Contato com urina ou fezes de uma pessoa contaminada.

Outra forma de contaminação menos comum é pela transfusão sanguínea.

Prevenção

Para a prevenção da hepatite, é recomendado:

  • Vacinação contra a hepatite A e B;
  • Uso de camisinha em relações sexuais;
  • Não partilhar seringas;
  • Adotar medidas de higiene, como lavar as mãos depois de ir ao banheiro e antes de se alimentar;
  • Ser cauteloso ao realizar piercings ou tatuagens, exigindo o uso de materiais novos ou esterelizados.

Tratamento

O tratamento para hepatite pode ser feito apenas com repouso, boa alimentação e hidratação. No entanto, em alguns casos poderá ser prescrito o uso de medicamentos. Quando são seguidas as orientações prescritas no tratamento, a hepatite tem cura na maioria das vezes.

Dados divulgados pela Agência Brasil e pela Secretária de Estado de Saúde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.