Novos casos de sarampo alertam sobre importância da vacinação

Estado de São Paulo já confirmou dois casos de sarampo em 2022 e, devido à queda da vacinação contra a doença, população está vulnerável.
Foto: Tomaz Silva / Agência Brasil

A adesão às vacinas vem caindo nos últimos dez anos. Embora o índice ideal de imunização seja acima de 90%, as taxas gerais têm ficado abaixo desse valor desde 2012, chegando a 50,4% em 2016. Em 2021, a porcentagem foi de 60,7%, segundo informações do DATASUS do Ministério da Saúde. Com a queda, a população está vulnerável a doenças que já estavam erradicadas no País, como o sarampo. Neste ano, o Estado de São Paulo já confirmou dois casos, alertando as autoridades em todo território nacional.

De acordo com o Dr. Guilherme Furtado, infectologista do Hcor, as vacinas continuam sendo a melhor maneira de prevenir as doenças virais que podem deixar sequelas e até causar mortes. “O Programa Nacional de Imunização foi um grande avanço no controle das endemias no Brasil e não podemos retroceder. É muito importante que as pessoas sigam o calendário de vacinação. Recentemente, vimos o impacto no controle da pandemia de COVID-19”, ressalta.

Em meio à circulação simultânea de vírus da COVID-19, sarampo e gripe, o especialista informa que os maiores de 12 anos não precisam cumprir intervalo entre os imunizantes e podem receber as doses no mesmo dia, desde que respeitadas as indicações para cada grupo. A meta do Ministério da Saúde é vacinar 70% da população contra COVID-19, 95% das crianças de 6 meses a 5 anos contra sarampo e 90% dos grupos prioritários contra a gripe. “O imunizante oferecido gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde para gripe é o trivalente, que protege contra Influenza A, H3N2, H1N1 e uma cepa de Influenza B. Algumas farmácias e clínicas oferecem a opção tetravalente, com adicional de uma cepa do vírus B”, explica o médico.

Sobre a doença

O sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus, que pode ser fatal. Sua transmissão ocorre quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. A única maneira de evitar o sarampo é pela vacina.

Os principais sintomas do sarampo são:

  • febre acompanhada de tosse;
  • irritação nos olhos;
  • nariz escorrendo ou entupido;
  • mal-estar intenso.

Em torno de três a cinco dias, podem aparecer outros sinais e sintomas, como manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas que, em seguida, se espalham pelo corpo. Após o aparecimento das manchas, a persistência da febre é um sinal de alerta e pode indicar gravidade, principalmente em crianças menores de cinco anos de idade.

Quem deve se vacinar contra o sarampo?

  • Dose zero: Devido ao aumento de casos de sarampo em alguns estados, todas as crianças de 6 meses a menores de 1 ano devem ser vacinadas (dose extra).
  • Primeira dose:  Crianças que completarem 12 meses (1 ano).
  • Segunda dose: Aos 15 meses de idade, última dose por toda a vida.

Dados divulgados pelo Hcor e pela Secretaria de Estado de Saúde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.