Católicos se empenham pela canonização do padre José Carlos Parra Pires, morto há 30 anos

4 de outubro de 2021
canonização do padre
Padre José Carlos Parra Pires teve vida curta, mas dedicada a Deus e ao próximo

O processo de canonização do padre José Carlos Parra Pires, aberto desde fevereiro pela igreja católica, está ganhando força nos últimos dias com devotos que buscam depoimentos de pessoas que possivelmente tenham recebido graças ou milagres que possam ser atribuídos ao religioso morto em um acidente de carro em 1990. Recentemente, entrou no ar um blog contando detalhes da vida de padre Parra e na sessão de comentários já aparecem várias pessoas afirmando terem recebido alguma graça após pedir a ajuda do padre Parra.

José Carlos Parra Pires foi padre da Diocese de Umuarama na década de 1980 e, após algum tempo de trabalho na cidade sede, assumiu a administração paroquial da Paróquia São José, em Alto Piquiri. Tanto na nova cidade quanto em Umuarama, ele se destacava pelo jeito especial de fazer aconselhamentos, proporcionando sensação de conforto e segurança.

 

Local de peregrinação

 

Pouco depois de mudar-se para Alto Piquiri, o sacerdote morreu em um acidente de carro na rodovia PR-681, que liga a cidade ao distrito de Paulistânia. O local do acidente, onde fiéis construíram uma capelinha, desde então recebe peregrinações, tornando-se ambiente de visitação e orações por pessoas da região.

Desde a morte do padre José Carlos Parra Pires, aos 32 anos, pessoas que antes recorriam aos conselhos e orações dele continuaram pedindo a sua intercessão. Afirmam que as orações dele eram sempre atendidas, em intercessão por amigos, conhecidos e até pessoas que não o conheceram. Com a morte, esses testemunhos se multiplicaram.

canonização do padre
Uma pequena capela foi construída no local em que o padre perdeu a vida em um acidente Foto: Portal Alto Piquiri

O bispo de Umuarama, dom frei João Mamede Filho, diz que vários fiéis relatam graças por meio de intercessões feitas pelo padre antes e depois da morte dele, por isso, a igreja iniciou o processo de canonização.

“É alguém que ensinou, que tinha doutrina, que nos ajuda a viver e que, agora, no céu, intercede a Deus por nós. Santo ele já é, já está em Deus”, comentou.

Para que o processo seja aceito é necessário reunir documentos e relatos de fiéis que receberam as graças do padre. Mas não há garantia nem prazo para que José Carlos Parra Pires seja considerado santo.

Após a reunião dos documentos, o processo é levado para análise do Vaticano. A decisão de tornar uma pessoa santa da igreja católica cabe ao papa.

No Brasil, há mais de 40 processos de canonização abertos.