Chuva demorou a chegar e não salva mais o milho safrinha

Por: - 7 de junho de 2021
Colheita do milho safrinha
A colheita está adiantada e confirma quebra acima de 13% em consequência da falta de chuvas

A estiagem que atingiu o Estado do Paraná desde o ano passado, com chuvas irregulares e, de modo particular, a ausência de precipitação em períodos mais críticos para o desenvolvimento das culturas agrícolas, prejudicou o milho safrinha que ainda está no campo. A previsão do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria da Agricultura, é que ao final da colheita a redução fique em torno de 13,4% na comparação com a safrinha do período anterior.

Essa mesma situação de seca severa comprometeu também a qualidade do produto. As informações que chegam ao Deral, vindas dos técnicos que atuam no campo, apontam que apenas 22% da área total de 2,5 milhões de hectares estão em condições boas. Em situação mediana encontram-se 46% da área, enquanto 32% têm condições ruins.

Historicamente, a colheita da safrinha de milho começa no final de maio, avança de forma tímida durante junho, ganha volume em julho e agosto. A expectativa é que as chuvas ocorridas nos últimos dias aumentem a umidade e ajudem a estancar as perdas de produção. Para os produtores, os preços continuam altos, com a saca de 60 quilos negociada em torno de R$ 80.

- Quer receber as notícias no seu WhatsApp? Clique aqui.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.