Coronavírus: O Invasor

O nome mais falado do ano de 2020, acima de qualquer celebridade ou figura de destaque: coronavírus. Estávamos todos seguindo uma vida normal de trabalho, estudo, passeios, lazeres, compromissos, direitos e deveres. De repente, sem aviso prévio surge um gigante abalando todas as estruturas e mudando a regra do jogo.

O gigante invasor surge na China e estende suas raízes no coração da Europa. Logo mais não satisfeito ele parte o Brasil e outros pontos América do Sul. Atualmente no momento em que escrevo o texto a notícia é que a presença dele se faz notória em 148 países.

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China. Provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19).

Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

De onde vieste inimigo invisível? Qual o seu objetivo? Quantos ainda pretende atacar?

Não te conhecemos, não te vemos, mas sabemos que você está aí em algum lugar querendo capturar um novo hóspede. Você veio e pegou todos desprevenidos e mudou a rotina de grande parte do mundo. Todos te temem. Nesse momento você é o grande vilão.

O Globo Terrestre está em choque com sua presença e desejamos o mais rápido possível o seu desaparecimento… As palavras nesse momento são poucas e um grande apelo é feito: união, cooperação e solidariedade.

 

Abaixo um trecho do Poema Invictus para nossa reflexão. Esse poema retrata alguns cenários importantes da nossa existência em momentos de crise.

 

“Do fundo desta noite que persiste
A me envolver em breu – eterno e espesso,
A qualquer deus – se algum acaso existe,
Por mi’alma insubjugável agradeço.

Nas garras do destino e seus estragos,
Sob os golpes que o acaso atira e acerta,
Nunca me lamentei – e ainda trago
Minha cabeça – embora em sangue – ereta.

Além deste oceano de lamúria,
Somente o Horror das trevas se divisa;
Porém o tempo, a consumir-se em fúria,
Não me amedronta, nem me martiriza.

Por ser estreita a senda – eu não declino,
Nem por pesada a mão que o mundo espalma;
Eu sou dono e senhor de meu destino;
Eu sou o comandante de minha alma”.

Autor: William E Henley

Referências:

https://coronavirus.saude.gov.br/

Graduado em Administração. Pós-Graduado em Gestão de Pessoas e Mba em Marketing Estratégico. Aprecio diversos tipos de leituras e temáticas atuais. Vejo que o mundo está cada vez mais complexo e dinâmico e o conhecimento é ilimitado. Nesse universo sem limites a alternativa é fazer articulação, confronto e reflexão constante de ideias para viver melhor. Sou curioso por natureza e um eterno aprendiz.
Últimas vagas de Empregos